segunda-feira, 17 de dezembro de 2007

A quadratura .... da estupidez !!!!!!!

"O meio" - Há muito que não via tanta azia, tanta inveja, tanta maledicência, .... nem de vermelhos e verdes ....juntos ! Não há dúvida, este homem é, como o próprio diz, ultra sério, o mais correcto, um bom portista, ...


Está mais do que provado, para muitos o estrondoso sucesso do Futebol Clube do Porto continua a provocar desvarios completos.

P.s. – E eu que por ele tinha uma enorme admiração...

14 comentários:

Anónimo disse...

Sinceramente, não entendo onde encontras relação entre o "estrondoso sucesso do Futebol Clube do Porto" e o que Pacheco Pereira(PP) diz, no seu texto "O meio". O que é que tem a ver? Achas que é por o FCP ter ganho títulos nos últimos anos que PP diz o que diz? E por que razão? Ele, que até é um adepto desinteressadíssimo de futebol. Se fosse um Manuel Serrão, um MST, um Rui Moreira, mas Pacheco Pereira, o intelectual que aproveita qualquer ocasião para destruir a paixão que todos temos por futebol?

Não. Não concordo. E acho que dizer apenas isso sobre o texto torna-se muito pouco, para o que o texto tem dentro. Preferia (e peço-te que o faças, se quiseres ou puderes) que rebatesses argumentos, no sentido de mostrares/provares que o que PP diz é uma falsidade. Li o texto e concordo com ele em muita coisa - aqui, tens duas opções: acreditas que eu concordo com o texto porque, sendo eu benfiquista, e cheio de ciúmes e inveja, quero é ver gente a escrever que o FCP e o seu presidente são uns mafiosos, ou (e esta é a minha verdade, creias nisso ou não) acreditas que a minha concordância é honesta e sincera -, o que se tem passado nos últimos 25 anos é uma vergonha para todo o país, imprensa, tribunais, política, etc. Eu nem devia dizer que amo a cidade do Porto, porque pareceria justificação, mas amo, e que nunca confundi os portuenses com portistas. Melhor: para mim não entram no mesmo saco os corruptos e os adeptos que, apaixonadamente, discutem e amam o seu clube FCP (caso de todos os que, aqui, partilham este espaço); tenho, aliás, um grande amigo portista, que (caso raro) admite todas as ilegalidades, máfias, corrupções e desvarios à margem da lei que catapultou o clube FCP para uma dimensão que nunca teve, antes de PC chegar ao poder. O que PP diz parece-me até de uma clarividência tremenda, e não compreendo que não haja mais portistas a poderem assumir certas "coisas estranhas" de que ouvimos falar há duas décadas e meia. Será tudo mentira, pergunto-vos? As agressões a que assistimos em directo, além de todas as outras comprovadas a jornalistas, foram obra de ficção? Será difícil aos portistas admitir isto, além de tudo o resto, pela sede de títulos que PC lhes (vos) deu? Ou a única coisa que interessa a um portista é ganhar, mesmo que a todo o custo? A única coisa realmente importante é ganhar, e por isso tentar calar e discordar e insultar uma pessoa que fale em casos específicos de ilegalidades, de máfias com imprensa, polícia e tribunais, mesmo que essa pessoa seja da cidade do Porto, e revele uma análise lúcida sobre estes processos dúbios? Sinceramente - e acho que muita gente já percebeu a minha conduta e a forma como admito por exemplo, em posts anteriores, as fragilidades da equipa do Benfica ou a superioridade como equipa do FC Porto, logo a minha honestidade intelectual não deverá estar em causa - acho que PP tenta, de um modo honesto, falar nestes compadrios que não deveriam interessar a ninguém, e que se passam há vários anos, de forma escandalosa, na cidade do Porto. Será assim tão grave pelo menos rir (como faz o meu amigo) quando lhe mostro lances absurdos de arbitragens vergonhosas dos anos 90? Ou terão de ser sempre fiéis ao PC, como diz o fanático nuns posts anteriores, quando diz que concorda com tudo o que ele faça, desde que no superior interesse do FCP? Eu compreendo (não aceitando) que as pessoas mais velhas, mais regionalistas e com algumas limitações de olhar, ainda sigam a máxima de "qualquer coisa serve" quando o assunto é o FCP e o seu presidente, mas já tenho mais dificuldade em ver jovens, lúcidos com outra formação, persistir nesta higiene do olhar, onde nada está errado, nada esteve errado, "nós não queremos saber porque ganhamos mais do que os outros e odiamos o Benfica". O meu amigo tem 27 anos e acho, sinceramente, que ele é o espelho de uma nova visão, ele é um adepto de um clube ganhador, já viveu duas grandes finais europeias (coisa que eu, infelizmente, nunca pude ver o meu clube ganhar), que, ainda assim, admite, quando falamos mais a sério, que a máfia foi mais que muita, quando, nos anos 80, PC e seus súbditos decidiram dominar o futebol português, pelas formas mais ínvias que se conhecem. Chamo a isso integridade e honestidade intelectual. Gostava de ver mais vezes nos adeptos do FC Porto, porque só assim é possível fazer esquecer o passado e respeitarmo-nos (adeptos de vários clubes) de uma forma que eu acho bonita.

Sei que este post não vai ser bem recebido, mas não podia deixar de dar a minha opinião. Fi-lo com toda a sinceridade. Espero que o façam também.

O Situacionista disse...

Meu caro,

Os seus comentários são sempre bem recebidos.

E nem este fugirá à regra.

Para já, por falta de tempo, apenas lhe digo o seguinte:

Desde que me conheço, em Portugal e num campo de futebol, só vi uma tragédia irreparável.

Foi em Oeiras.

Um adepto morreu.

Alguém lhe lançou um very-ligth mortal.

Por incrível que lhe possa parecer, nesse jogo, o Futebol Clube do Porto não intervinha. É verdade !

Mas repare... não é pelo que aconteceu, nem pela cor clubistica dos autores de tão medonho crime, que eu tomo os vermelhos, como é o seu caso Ricardo, por assassinos.

Seria confundir a árvore com a floresta.

O que é sempre tudo menos inteligente. Diria até que Deus teria sido mauzinho comigo.

Confundir algumas pessoas e seus alegados actos, com o clube de que dizem ser adeptas, é não saber o que se está a dizer.

Então tentar induzir que esses comportamentos serão "comandados" pelo líder desse clube, é confundir a obra prima com a prima do mestre de obras.

Mas há sempre quem, perante o desastre, prefira esconder a cabeça na areia...

Anónimo disse...

Mas o que leu do texto de PP e do meu comentário foi que tanto ele como eu confundimos as pessoas que cometem crimes idiotas com o clube de que dizem ser adeptos? é que, sem dúvida, concordo com tudo o que diz neste seu comentário, mas o assunto não é propriamente esse ou é muito maior do que esse.

Espero por quando tiver tempo e puder analisar mais detalhadamente o texto de PP e o meu comentário para depois, então, podermos discutir a questão. No ponto que referiu, concordo totalmente consigo.

Aproveito para dizer que senti muita vergonha - apesar de não ter qualquer culpa no sucedido - por esse incidente hediondo de que falou, no Jamor. Uma vergonha para o futebol português e mundial. Por fazerem parte de uma claque do meu clube, não os iliba, aos meus olhos, de um julgamento severo. Um imbecil da pior espécie, é o que esse ser execrável é. Afastar essa escumalha dos estádios de futebol: é só isto que todos devemos querer.

gmf disse...

PP vem agora com sentimentalismos primários. Vi PP dizer em pleno programa que os crimes estão relacionados directamente com a claque do FCPorto. Lembro que à uns anos quando entraram um grupo de individuos na discoteca Pacha em Ofir, almas iluminadas referiram logo a claque do FCPorto como responsavel daquela infeliz atitude. Acho que alguns individuos em Portugal têm grande Dom para ser Inspector da PJ, e parece que PP tambem.
Gostava de ter visto PP a intervir desta maneira quando a equipa de Hoquei Patins do FCPorto foi violentamente agredida DENTRO DO SEU PROPRIO AUTOCARRO à saída do Estadio da Luz. Aí se fossem os Super Dragões...


Não estou com isto a defender algumas atitudes QUE TODAS as claques têm dentro e fora dos estádios, embora considere que os Super Dragões estão a ser vitímas de um sistema montado na comunicação social em prol do Benfica e de algumas figuras de Lisboa.

Se todos pensarem como o Srº Pacheco Pereira, os telejornais quando noticiarem uma noticais de assasinato, vão ter de mencionar se essa pessoa é militante do PSD ou PS...é exactamente a mesma coisa!

Srº Pacheco Pereira, Portugal não esta na cauda da Europa por causa dos Super Dragões, mas por causa dos politicos como o Srº que têm governado mal Portugal, talvez com alguns sistemas mais obscuros pelo meio. Por isso, acho que deveria de se preocupar menos com o FCPorto...que ate contraria o que se passa em Portugal....porque o FCPorto é actualmente a unica imagem de marca alem fronteiras. Como vê PP nem tudo vai mal em Portugal...

Estilhaço disse...

Caro Ricardo

Não querendo, por agora opinar sobre o seu comentário na questão principal faço-o a nível das suas afirmações em tom acusatório.
'o que se tem passado nos últimos 25 anos é uma vergonha para todo o país, imprensa, tribunais, política, etc'
Certamente utiliza a bitola dos 25 anos da mesma maneira que utilizaria os últimos 50 para demonstrar as glórias da sua equipa.
Será da sua idade real ou tem andado distraído?

Afirma, preto no branco, que tem um amigo portista que 'admite todas as ilegalidades, máfias, corrupções e desvarios à margem da lei
que catapultou o clube FCP para uma dimensão que nunca teve'.
É de admirar que, de tanta coisa má e após averiguação de um super equipa, tenham sobrado 3 casos, incluindo a 'imensa roubalheira do
jogo com o Estrela' que ainda nem sequer deram seguimento a qualquer julgamento.
Mas o senhor já fez o seu e afirma-o, como detentor da verdade suprema.

Custa-lhe admitir, melhor, não admite o valor de 25 anos de sucessos e prefere-o conotar com chocolates, alternadeiras e vinho verde.
Esquece no entanto quem foram os pioneiros na apresentação de beldades na arbitragem.
Fala em agressões em directo e esquece o caso do aeroporto de Lisboa, ou da espera feita aos jogadores de hóquei na luz.
Fala em lances de arbitragem vergonhosos dos anos 90 e esquece penaltis quando se joga com a cabeça dos anos 2000.
Fala em compadrios quando se comenta que um dos inspectores da equipa do apito era visto nos camarotes do seu estádio.

Tenho também um amigo Benfiquista. Mas este, aparentemente, não é tão iluminado, ou ingénuo, como o seu Portista.
Quando lhe pergunto se não acha estranho o seu presidente combinar árbitros pelo telefone ele responde que 'também ligou ao
presidente da outra equipa' e que 'não estaria totalmente correcto mas era a maneira que as coisa se faziam na altura'.
Aceitaria estas desculpas em casos onde as personagens fosse de culbes adversários?
E claro, acuse-me agora de, ao tentar desculpar as alegadas situações com outras semelhantes, assumir já a culpa.

Na sua óptica a integridade e honestidade intelectual passa por admitir que 'que a máfia foi mais que muita, quando, nos anos 80,
PC e seus súbditos decidiram dominar o futebol português, pelas formas mais ínvias que se conhecem.'
Na minha rogo-lhe que, em nome da mesma integridade e honestidade intelectual, aceite os sucessos obtidos pelo esforço de
quem trabalha, gere o clube da melhor maneira e tem visão.
Mas, contrariamente ao que pede, eu não lhe peço, de maneira alguma, para esquecer o passado.

Falou em respeito. Sempre, mutuo e assumido.
Pediu sinceridade. Aqui a tem.

Anónimo disse...

estilhaço,

leu o texto do PP? é que vai exactamente dar às suas palavras: "É de admirar que, de tanta coisa má e após averiguação de um super equipa, tenham sobrado 3 casos, incluindo a 'imensa roubalheira do
jogo com o Estrela' que ainda nem sequer deram seguimento a qualquer julgamento". De facto, é de admirar. Ou não será tanto? A questão de que PP fala no seu texto é exactamente esta: um polvo que gere os vários poderes de uma sociedade. É de admirar, pois é, que ninguém tenha sido acusado, mas sou-lhe sincero: tal como PC ou Reinaldo Teles ou outros que trabalharam, nos túneis obscuros da ilegalidade, também o caso Casa Pia não teve, até ao momento, sequência. Também será de admirar? Talvez não. O problema parece maior, parece estar na forma como as nossas ilegalidades vão sendo assumidas e desculpas e escondidas. Argumentar que pessoas ligadas ao FC Porto não foram acusadas é um argumento que entendo, mas não basta para justificar o que se passou, nem tentar identificar erros no discurso de PP, porque é exactamente dessa impunidade que o mesmo fala.

Peço-lhe desculpa pela minha provável ignorância, mas costuma vir a este espaço? Não me recordo do seu nome. Pergunto-lhe isto por ver que tirou uma conclusão ("Custa-lhe admitir, melhor, não admite o valor de 25 anos de sucessos e prefere-o conotar com chocolates, alternadeiras e vinho verde") que não corresponde à verdade. Eu, por mais corrupções que tenha havido, sempre admiti o valor dos sucessos portistas, principalmente a nível internacional, onde o FC Porto brilhou e ganhou de forma categórica, sem ajudas de terceiros.

Falei das agressões para falar da impunidade, não como um fim (porque é maior a questão). Falei das agressões para mostrar o que PP fala em relação Às (não) queixas dos agredidos. Porque será que um jornalista não se queixa, quando é agredido? Isto não o faz pensar? A mim faz. Quanto às agressões a equipas de hóquei, teríamos para um ano as várias. Tanto de adeptos do Benfica a jogadores do FCP, como de adeptos do FCP a equipas de hóquei do Benfica. Isso é a escumalha.

Quanto aos anos 2000, oiço por aí que o nosso campeonato de 2005 foi o do "colinho". Eu, sinceramente, acho que desde 2000, os 3 grandes são mais favorecidos que os demais, e que, entre os 3, as coisas estão muito equilibradas. Não vejo nada de novo nesse campeonato. Se fala no lance do Luisão, na Luz, com o Sporting, parece-me discutível, dou-lhe isso, mas não me parece comparável a lances absurdos que fomos vendo ao longo de uma década. É que um lance discutível é um lance discutível, um lance indiscutível (lembro-lhe um conhecido vídeo que por aí anda, em que o Baía defende com as mãos um metro fora da área, não é expulso, a jogada segue, um jogador do Benfica remata, a bola bate num central portista, entra na baliza, e quando os jogadores do Benfica comemoram o golo, ele é-lhes anulado por...fora-de-jogo, mas há várias, há inclusivamente, árbitros a admitir que, nas Antas, não expulsavam jogadores do FC Porto, porque, e cito-os, "o senhor lá de cima castiga-nos") é, por vezes, tão indiscutível que não há outra forma de perceber o lance, sem ser o de corrupção. Estes lances foram recorrentes, durante muitos anos, e sempre para o mesmo lado.

Em relação à conversa telefónica de LFV a escolher o árbitro, pelo que li e vi sobre esse assunto, na Taça de Portugal o Presidente da Arbitragem tinha sempre esse procedimento com os dois clubes que se defrontavam. Se gosto desse comportamento, tanto do Presidente da Arbitragem, como de LFV e outro qualquer Presidente? Não gosto, mas pelo que parece era um comportamento igual para os dois clubes. Não era por debaixo dos panos.

Eu tenho, em blogues benfiquistas, sido acusado de ser "da cor azul", porque, pura e simplesmente, tenho falado da excelente organização do FCP e de por isso serem ganhadores ano após ano. Aceito, principalmente, os sucessos do FCP, a nível internacional, e a nível nacional de há uma meia dúzia de anos para cá. Acho-os justíssimos. Antes disso, não posso aceitar. Foram construídos na ilegalidade.

Tentei argumentar consigo os vários pontos que deu, mas a questão primordial (tanto do texto de PP como do meu comentário) continua por ser falada: o polvo que PC criou para fazer crescer um clube, respeitável, é certo, mas com pouca visibilidade, nos final dos anos 70. Esperarei que os amigos rebatam várias ideias que o PP refere, e que não se resguardem sob o manto de falar no Benfica. Poderemos, mais tarde, falar no Benfica, mas queria saber a vossa opinião sobre PP e o seu "O meio".

Estilhaço disse...

Vou fingir que não li o seu primeiro parágrafo nem a ‘volta’ que deu ao que escrevi.
Visito diariamente este espaço embora seja mais activo no bibo-porto e admiro a sua visão de o Porto ter ganho principalmente a nível internacional sem ajudas de terceiros. Como se fosse possível dissociar estes dos sucessos caseiros.
Arbitragens, agressões e episódios afins existem para todas as cores e feitios.
Bolas tiradas de dentro da baliza não são assim tão incomuns.
A ideia foi rebater as suas acusações.

Na questão das chamadas telefónicas do seu Presidente a resposta era a esperada.
Era um comportamento igual para os dois clubes. Mesmo quando foi feito a afirmação que para o FCP qualquer um servia. E só ficou por cima dos panos depois de estas serem divulgados pela comunicação social. Caso o interlocutor fosse o PC manteria a sua opinião?

Em relação às afirmações do Sr. Pacheco Pereira queria aplicar o lema, apenas para mim próprio e sem divulgação pública, de os cães ladram e a caravana passa e evitar dar algum valor a afirmações que nada disso tem. Mas enfim, seguem uns bitaites sobre o mesmo.
A tese de tal senhor baseia-se em duas finas flores oriundas das camadas mais intelectuais do cenário nacional. O livro da D. Carolina e o filme Corrupção que o mesmo afirmou não ter ainda visto. Junta-lhe umas pitadas do Correio da Manhã, uma afirmação menos feliz do Sr. Mourinho e voilá, está alicerçada a sua visão, apelidada de ‘meio’. Dispara então em todas as direcções e umas linhas abaixo afirma que não defende a casualidade de mando entre a e b. É tipo a afirmação do Padre de Vilar de Paraíso. Atira-se a pedra e esconde-se a mão.
Os que expressam publicamente o seu desacordo são apelidados de Sopranos.
Fica pelo meio uma cronologia de incidentes onde aparece sempre alguém ligado ao FCPorto.
Como se não fosse possível criar outra com incidentes semelhantes, apenas noutra cor.
Mais umas linhas, no estilo de vítima, é insultado entre apelos à agressão física.
E para acabar, ao bom estilo de bom filho da terra que só após meio dia troca os vês pelos bês, nomeia um sem número de locais da Invicta chegando a afirmar que é do FCP desde pequenino.

O que se passa com a noite do Porto deve ser tratado por quem de direito é responsável.
Afirmações como estas, baseadas em fontes onde abunda o ódio ao clube, tentando aliar o inaliável de nada ajudam. Falta-me o dom da escrita para exprimir a incompreensão de atitudes destas por parte de alguém com visibilidade pública. É altura de nos calar-mos todos e deixar a máquina da investigação funcionar. Nem todos os ´meios´ justificam os fins a que cada um se propõe.

Azzulli disse...

Eu estava a escrever um comentário para aqui colocar.
Mas desisto…

É tão disparatado relacionar uns sujeitos que andam por aí aos tiros uns aos outros, com qualquer influência do FC Porto, que nem dá para contra argumentar.

É tão lógico como dizer que quem troca os Vês pelos Bês é um tipo violento.
Ou quem conduz na VCI.
Ou quem come Francesinhas.

Eu acho que a origem de todo o mal está nas Francesinhas!
Mais do que uma Francesinha por semana faz um tipo sair de metralhadora na mão a disparar contra pessoas de quem não gostam.

Eu não gosto do Pacheco Pereira.
E vou comer uma Francesinha logo à noite…
Medo! Muito medo!!!

O Situacionista disse...

Infelizmente, estou sem tempo.

Mas não posso deixar de partilhar convosco esta pérola.

Diz Pacheco Pereira a abrir a sua congestão mental:

"Eu li o livro de Carolina Salgado com atenção e não devo ter sido o único."

Diz também logo de seguida:

"Eu li o livro de Carolina Salgado com interesse."

Que maravilha. Pacheco Pereira, que entende que futebol é para mentes muito menos perfeitas que a sua, lê livros de ficção. Quem diria ??!!!

Será que Pacheco Pereira também lê a Maria ??!! Já não digo nada...

Ora bem, curiosamente, a Sr.a D. Carolina foi hoje testemunhar ao Tribunal de Gondomar no processo que opõe Pinto da Costa ao Estado.

E o que disse ela ? O que já se esperava.

Com uma excepção.

Mas que excepção...

De facto, a Sr.a D Carolina, segundo relata o Portugal Diário:

“(...) disse ainda, e repetiu, que Lourenço Pinto tinha conhecimentos no Ministério Público e «tivemos acesso ao processo»."

Pelos vistos, o Juiz, incrédulo, imagino eu, terá perguntado, se ela queria mesmo referir-se ... ao processo. O original. Inteirinho. de "carne e osso".
Ao que a Sr.a D Carolina respondeu:

“Era o processo mesmo. Uma capinha amarela. Levado pelo Lourenço Pinto e transportado pelo motorista do Jorge Nuno, Afonso»
(adorei o pormenor da capinha amarela...)

Ainda mal refeito de tamanha barbaridade, digo eu, o Juiz perguntou-lhe se sabia o tamanho do processo. Para ver se ela tinha a mais pequena noção do que estava a dizer.

É que o processo já tem, actualmente, uns míseros, ... 150 volumes !!!! Coisa pouca. Cento e cinquenta volumes !! Devem caber num camião TIR...

Ao que Carolina retorquiu: «Na altura, em Dezembro de 2004, não era tão grande. Mas já era bem grandinho».

Bem grandinho ???!!! Bem grandinho ???!!! Terei lido bem ??!!!

Pela madrugada !
Pela madrugada !
Pela madrugada !


É que nem o António Feio e o José Pedro Gomes se lembrariam desta invenção...

Como se deve ter apercebido do abismo em que se tinha lançado, continuou:

«Eu sei porque mo disseram. Percebe ? Tive a certeza porque mo disseram. Era para terem acesso às declarações de António Araújo» e assim pudessem preparar o depoimento do líder portista.”


Bom..... só vejo uma hipótese, deve ter sido o Pacheco Pereira que lhe disse para contar esta estória da carochinha .... com o patrocínio do procurador Carlos Teixeira .... que deve ter emprestado o processso para estudar....

É esta a única prova do MP ???!!
Então estamos conversados.

P.s. - Comi ao almoço uma francesinha...

Estilhaço disse...

Até que estava em dúvida com o jantar. Mas com a Vossa ajuda já está decidido.
Benha uma francesinha carago.

O Situacionista disse...

Caro Estilhaço,

Para sobremesa sugiro um pastelzinho... daqueles que nós sabemos...

Estilhaço disse...

Saia então, para sobremesa, um pastelinho daqueles que nós sabemos.
Mas bem grandinho.

O Situacionista disse...

Até o Correio da Manhã não consegue entender o homem !
Repito, até o CM !

E se o CM não consegue entender um ataque vergonhoso ao FC Porto é porque esse ataque é mesmo ininteligível.

“Pacheco Pereira falou do Porto, das suas personagens, dos seus crimes, das suas conivências políticas e policiais. Citou casos.

Desde o ‘Eu, Carolina’ até às agressões a jornalistas quase sempre impunes. Indicou o elemento comum: o ‘meio’ do futebol, insinuando que a questão se centra no FC Porto.

A tese está mal fundamentada.

Todos os vícios que nomeia, sobretudo o da inacção da Justiça, acontecem numa enorme variedade de situações, com futebol ou sem ele.

Depois, o facto de alguns criminosos serem adeptos do FCP, à partida, não é indício bastante – como alguém dizia num blogue, “quase que aposto que mais de 80% dos criminosos do Porto são do FCP.

Assim como mais de 80% dos médicos, dos juízes, dos estudantes e dos operários da construção civil”.

Claro que seria útil uma total demarcação daquela gente. Mas o que nunca aceitarei é que o meu clube seja ‘aquela gente’.
( http://www.correiomanha.pt/noticia.asp?idCanal=93&id=270473 )


Eu diria mais, até o Pacheco Pereira é portista.....

Aliás, ate gostava de saber, pela lógica de Pacheco Pereira, atendendo a que são 6 milhões no total, quantos criminosos é que são vermelhos ? Seria curiosa uma estatística. Muito curiosa.
(Eterno, podes dar uma ajuda ?).

P.s. – Estou também curioso para saber o que irá dizer o procurador Carlos Teixeira, responsável pelo Apito Dourado, sobre as declarações da Sr.a D. Carolina. Refiro-me à “capinha amarela” e ao empréstimo do “original do processo”. Os 150 volumes ....

O Soldado Azul disse...

Caro Ricardo,
Permita-me que faça apenas um comentário às suas palavras: ..."sempre admiti o valor dos sucessos portistas, principalmente a nível internacional, onde o FC Porto brilhou e ganhou de forma categórica, sem ajudas de terceiros." Certamente desculpar-me-á a minha ingenuidade ao considerar pelas suas palavras que o FCP é a melhor equipa portuguesa dos ultimos 20 anos com... "a ajuda de terceiros"? Digo-lhe apenas que reconheço muitos lances mal ajuizados a favor da minha equipa, mas acredite que não são menos que os mal ajuizados a favor da sua!!!! Poder-lhe ia contar tantos e olhe que igualmente nos anos 90 !!! Pergunto se acha justo considerar o FCP superior com a ajuda dos árbitros? Olhe que conheço muitos benfiquistas que consideram a minha equipa superior porque preocupam-se apenas em ser realistas e reconhecerem o mérito de quem efectivamente tem !!!! Ponto! Essa mania de relacionar o PC e as vitórias do minha equipa às arbitragens, com todo o respeito que me merece é não saber reconhecer quem efectivamente é melhor, é arranjar subterfúgios !!!!
Quanto ao facto de considerar NORMAL o LFV escolher um árbitro para um jogo, pois deixe-me dizer-lhe que o ANORMAL é esse senhor não ter sido notificado para prestar declarações... Mas infelizmente o poder anda por lá, ou como diz o Povo, "uns são filhos outros enteados...)!
Acho sinceramente espantoso como custa tanto reconhecer a superioridade do FCP? Sabe eu também poder-lhe-ia referir que só agora somos superiores porque no tempo do "regime não era possivel disputar em igualdade qualquer prova interna, dada a "protecção" ao seu clube, mas... não me resta alternativa senão combater os números objectivos dos títulos e ficar muito satisfeito por saber que na larga maioria dos últimos 20 anos encurtámos a diferença, desejando e acreditando que um dia (muito em breve) seremos a melhor equipa portuguesa de todos os tempos...
Saudações