quarta-feira, 8 de janeiro de 2014

Fomos condenados à derrota

 
 
Como podem ver na capa do I jornal oficial dos vermelhos, o Luisão já marcou um dos golos da vitória deles, está a festejar e, como é crente, a dizer ao Eusébio: estes vão levar poucos !)
 
Portanto, parece que, à partida, fomos condenados à inevitável derrota.
 
Sem apelo, nem agravo.
 
Sem, sequer, ter uma palavra a dizer.
 
Ora, como o resultado já está decidido, não seria preferível uma falta de comparência da nossa parte ?
 
Porque não, até, começarmos a preparar o jogo da jornada seguinte ?



Nada disso. Nem pensar. As derrotas antes do jogo começar eram no altura do regime. Depois veio a liberdade ...

 
SOMOS PORTO

1 comentário:

Sabino Arruda disse...

Isto já era esperado. Como o tempo não volta para trás, vamos lá jogar como tricampeões que somos!