quarta-feira, 31 de dezembro de 2008

Melhores 2008/09

Os resultados da nossa sondagem, que pontuam os jogadores de 0 a 100:

pontuacao08

Assim o melhor da época, até ao virar de ano, é LISANDRO!
E temos mais 3 jogadores bem perto dele: Hulk, BA e RM.
Como era de esperar Lucho anda como tem jogado habitaulmente: perdido lá pelo meio... Ele que tem estado sempre no topo das preferencias dos adeptos... ACORDA LUCHO!
Quanto ao fundo da tabela, é o esperado...
Ò NGP, que tal emprestar este pessoal abaixo de 40%, e colocar no seu lugar alguns jogadores da "cantera"?...

segunda-feira, 29 de dezembro de 2008

A saga dos comissionistas … (parte II)

Meio ano depois de terem chegado, fazendo um “exame” das contratações (incluindo a chamado de um emprestado) deste ano, diria:

Benitez - reprovado;
Mariano - reprovado;
Pelé - em análise;
Sapunaru - em análise, mas já mostrou potencial;
Guarin - em análise, mas já mostrou muito potencial;
Tomas Costa - aprovado;
Fernando – aprovadíssimo e com potencial para mais;
Rolando – aprovadíssimo e com potencial para mais;
Rodriguez – aprovadíssimo, mas pode fazer muito melhor;
Hulk – “espero” que não faça muito melhor porque senão no final da época … por uma fortuna … adeus;


Portanto, 10 contratações de jogadores (muito) jovens, 2 chumbos, 3 jogadores em análise, 5 já aprovados (exceptuando o Mariano, todos com apenas escassos 6 meses de adaptação) e 5 habituais titulares.

De facto, estes comissionistas, liderados pelo NGP, são, como muito bem dizem algumas "boas" línguas, uns malandros ...

domingo, 28 de dezembro de 2008

Parabéns NGP!

Pinto da Costa está de parabéns.

O presidente do FC Porto comemora hoje 71 anos, mais de 26 dos quais à frente dos destinos do clube. Presidente e instituição confundem-se no último quarto de século, e, no capítulo dos melhores presentes que foi desembrulhando ao longo dos mandatos, destacam-se as várias obras a que tem estado associado. A próxima, prevista para ser inaugurada no dia em que completar 27 anos de presidência, em Abril de 2009, tem crescido, mesmo ao lado do irmão mais velho, a olhos vistos: o Dragão Caixa, o novo pavilhão do clube, um dos objectivos que incluiu no programa da recandidatura para continuar à frente do FC Porto.

Antes de cortar esta fita, Pinto da Costa, nascido às primeiras horas do dia 28 de Dezembro de 1937, numa casa burguesa de Cedofeita, já tem outra empreitada em mente: a edificação do museu do clube, que deixou de existir com a demolição do Estádio das Antas, palco que visitou no dia da sua inauguração, a 28 Maio de 1952, pela mão de um tio, Armando Pinto. Aí nasceu a grande paixão que tem pelo emblema azul e branco, do qual nunca mais de desligou. No ano seguinte, tornou-se sócio para em 1962 assumir a primeira função no clube: vogal da secção de hóquei em patins, a modalidade que mais aprecia a seguir ao futebol. Aí chegou, como dirigente, em Maio de 1976.

Ao longo dos últimos anos, Pinto da Costa não se limitou a dar visibilidade ao clube coleccionando títulos em todas as modalidades. Está também ligado umbilicalmente a todos os grandes projectos do FC Porto: o Estádio do Dragão, o Centro de Estágio do Olival, aqui numa parceria com a Câmara de Gaia, a renovação da Constituição, agora rebaptizada "Vitalis Park", e o pavilhão, que voltará a aglomerar as modalidades que, entretanto, se foram espalhando por vários espaços.

Um presidente com obra feita e por fazer. São esses desafios, misturados com a vontade de deixar o currículo do clube ainda mais recheado, que o movem. O actual mandato, o 11.º, prolonga-se até 2010, e a reeleição aconteceu no dia em que o FC Porto se sagrou bicampeão.

A propósito, há alguns anos que Pinto da Costa não passava o dia de aniversário fora do primeiro lugar do campeonato. Contudo, os dois pontos de atraso para o Benfica são compensados com outro detalhe importante: o FC Porto é o único clube português que ainda está em todas as frentes.

Como é habitual nestas ocasiões, as velas de mais um aniversário deverão ser apagadas junto da família e dos amigos mais próximos.

Palmarés

Futebol
2 Taças dos Clubes Campeões Europeus/Liga dos Campeões (1987 e 2004)
1 Supertaça Europeia (1987)
1 Taça UEFA (2003)
2 Taças Intercontinentais (1987 e 2004)
16 Campeonatos Nacionais (cinco deles consecutivos, de 1994 a 1999, constituindo um marco inédito no futebol português)
9 Taças de Portugal
14 Supertaças Cândido de Oliveira

Andebol
4 Campeonatos Nacionais
1 Taças de Portugal
1 Taças da Liga
4 Supertaças

Basquetebol
5 Campeonatos Nacionais
10 Taças de Portugal
4 Taças da Liga
4 Supertaças

Hóquei em Patins
2 Taças dos Campeões Europeus (1986 e 1990)
1 Taça das Taças (1982 e 1983)
2 Taças CERS (1994 e 1996)
1 Taça Continental (1987)
17 Campeonatos Nacionais
12 Taças de Portugal
15 Supertaças António Livramento

Outros
4 títulos no boxe
2 títulos no halterofilismo
11 títulos na natação
2 títulos no voleibol
dezenas de títulos nas camadas jovens das diversas modalidades

fonte: OJogo/Wikipedia

sábado, 27 de dezembro de 2008

Época de Balanço

Como vai o nosso plantel? Quais os melhores e piores?
Criamos uma sondagem para que pontuem os nossos jogadores.

PF votem.

E qual o momento que fica até agora como o melhor do ano (desta época)?
O golo de Lucho em Kiev?
O de Hulk em Alvalade? Ou na Amadora?
Outro? Qual?

sexta-feira, 26 de dezembro de 2008

terça-feira, 23 de dezembro de 2008

Carta ao Pai Natal


Querido Pai Natal,

Portámo-nos um pouquinho mal a meio desta primeira parte do campeonato, e também a meio da fase de grupos da Liga dos Campeões…
Mas rapidamente arrepiámos caminho, e voltamos aos bons resultados.
Estamos apurados para os oitavos da Liga dos Campeões, e só dependemos de nós para sermos Campeões Nacionais.

Assim sendo, cá venho escrever-te os meus pedidos para este Natal:

- Queria muito, muito, muito, um defesa lateral… Já nem escolho se direito ou esquerdo, pois o Fucile jogará bem do outro lado.
- Queria que o River Plate exigisse o Farias de volta (qualquer razão serve, pode ser saudades…), e desse em troca um verdadeiro ponta de lança, já agora bom cabeceador.
- Queria que o Lucho saísse do estado de Coma em que se encontra nos últimos meses.
- Queria que o verdadeiro Rodriguez seja o das últimas duas jornadas e não o de todas as anteriores.
- Queria que o Jesualdo Ferreira fizesse um curso Natalício de ousadia e audácia.

Para já é tudo, mas se alguém tiver mais ideias faça PF adenda nos comentários…

Antecipadamente grato,



EM NOME DOS BICAMPEÕES DO MUNDO

VOTOS DE UM FELIZ NATAL PARA TODOS

domingo, 21 de dezembro de 2008

No desaproveitar é que está a perda...

12ª Jornada da Liga Portuguesa 2008/09
Estádio do Dragão, no Porto
Árbitro: Duarte Gomes (AF Lisboa)
.
FC PORTO: Helton; Fucile, Rolando, Bruno Alves e Pedro Emanuel «cap.» (Mariano aos 67 min); Fernando, Raul Meireles (Farías aos 85 min) e Lucho; Lisandro, Hulk e C. Rodríguez;
Treinador: Jesualdo Ferreira;

MARÍTIMO: Marcos; Briguel, João Guilherme, Fernando Cardozo e Van der Linden; Olberdam, Bruno «cap.», Marcinho (Vítor Júnior aos 77 min) e Miguelito; Bruno Fogaça (Djalma aos 46 min) e Baba (Manu aos 86 min);
Treinador: Lori Sandri;

Resultado final: 0-0;
.
Furioso e desanimado.
Foi como me senti quando acabou o jogo.

Um empate destes não se admite.
Não quando queremos recuperar o 1º lugar da Liga. O nosso lugar.
Não quando jogamos primeiro e podemos colocar pressão sobre os abutres.
Não quando criamos mais do que suficientes oportunidades para marcar.

E o jogo até nem começou muito mal.
Parecendo que (mais coisa menos coisa) o golo iria surgir. Com naturalidade.

Mas depois a máquina “engripou”.
Praticamente deixamos de criar linhas de passe.
Jogamos a passo e mesmo assim perdemos muitas bolas.
Com Lucho mais uma vez ausente. Como é possível ter jogado os 90 minutos?
E com isso aproveitou-se o Marítimo para reorganizar as suas peças e com isso encaixar na nossa equipa como uma luva.


Na 2ª parte a equipa tentou recuperar o tempo perdido, percebendo que só impondo um ritmo mais elevado é que conseguia criar desequilíbrios na defesa contrária.

E assim fez. Mais com o coração do que com a cabeça.
Sem grande ajuda do banco, pois JF esteve mais uma vez ao seu mais baixo nível.
No entanto, por falta de sorte, de lucidez ou de inspiração ou ainda graças à segura exibição de Marcos, o golo não apareceu.

De positivo, apenas a disponibilidade física e a atitude da equipa.

Quanto ao árbitro Duarte Gomes esteve muito fraco.
Ficou impune uma agressão a Rolando. Permissivo com a constante perda de tempo dos jogadores do Marítimo, principalmente do guarda-redes Marcos (o cartão amarelo mostrado nos últimos minutos foi apenas uma operação de cosmética). Com dualidade de critérios na faltas assinaladas.

Enfim…
Não sabemos como vão ficar as contas finais desta Liga, mas é nestes jogos que se ganham ou perdem títulos.

As palavras dos nossos intervenientes:
Jesualdo Ferreira
«Foi um jogo com sentido único na maior parte do tempo. Sempre disse que ia ser um jogo complicado porque o Marítimo só sofreu um golo fora. Na primeira parte, a pressão que exercemos não foi tão forte como devia. O nosso plano passava por pressionar os três centrais do Marítimo, mas não fizemos uma pressão muito agressiva. Empatámos porque não soubemos tornear o adversário. Ficou um grande amargo porque perdemos a oportunidade de subir ao primeiro lugar, quando tínhamos recursos para vencer. Foi um resultado inglório para o que fizemos até agora, mas serve como exemplo de que nenhum jogo pode ser considerado fácil.»
Sobre o primeiro lugar: «Esta jornada não dependíamos de nós para subir ao primeiro lugar. Não é por este jogo que fico amargurado, mas sim pelos resultados menos bons alcançados numa fase não muito boa da equipa.»
Sobre as várias oportunidades falhadas: «Não me deixam preocupado. Fico insatisfeito porque não ganhámos. Se tivéssemos marcado um golo, obrigávamos o Marítimo a abrir mais espaços, o que viraria o jogo mais a favor das características dos nossos jogadores. Este resultado não me retira confiança, nem me faz pensar que houve um retrocesso. Podíamos ter ganho, mas desperdiçámos muitas oportunidades, o que não é permitido. Nos últimos minutos, jogámos mais com o coração do que com a cabeça, o que permitiu ao Marítimo criar uma grande oportunidade de golo.»

“O Incrível” Hulk
«Hoje demos tudo o que tínhamos. Corremos pela vitória até ao fim. Só nos faltou um golo. Mas isto não nos vai abalar. Claro que o F.C. Porto só pensa em vencer os seus jogos e isto pesa sempre um pouco, mas somos optimistas. Estamos fortes e a minha sintonia é boa com todos os meus colegas, não só com o Lisandro e o Rodríguez.»
Sobre o ano de 2008: «Só não é incrível porque não estamos em primeiro no campeonato.»

Um abraço a todos e um forte POOOOORTOOOOO!!!

TODOS AO DRAGÃO !

Jesualdo Ferreira: «Queremos chegar rapidamente à liderança»

Bora lá responder, em força, ao repto do JF: Todos ao Dragão!

Tenho um palpite que até ao Natal, estaremos em 1º lugar!

sexta-feira, 19 de dezembro de 2008

Quando é que posso assinar?

OJogo, edição online (19/12/2007)

"A duas derrotas seguem-se sempre nove vitórias

Não houve golos nem nenhuma vitória especial, mas a noite de ontem foi de festa pintada em tons de azul. A família portista reuniu-se para o habitual jantar de Natal, que juntou cerca de 600 pessoas. O ponto alto da noite, como em todos os anos por esta altura, voltou a ser o discurso de Pinto da Costa. O presidente do FC Porto falou num "ano de sofrimento, de luta, emoções e muitas alegrias", sentindo, no entanto, que todos "cumpriram uma vez mais com o seu dever". Depois falou-se do futuro. "Queremos continuar a vencer com dignidade, justiça e companheirismo, apesar de isso custar a muita gente. Mas isso só pode servir para sermos ainda mais fortes e para lutarmos cada dia mais e nunca para nos deixar desanimados." Pinto da Costa explicou ainda as razões que levam o clube a vencer mais vezes do que os seus adversários. "Depois de duas ou três derrotas, seguem-se sempre sete, oito ou nove vitórias… E a explicação é simples: somos fortes e temos um grande espírito colectivo", afirmou, num discurso mais interno do que é habitual, fugindo aos assuntos mais quentes."

O NGP ao seu mais alto nível.
Acutilante. Inteligente. Eterno. Indispensável.

Não admira, portanto, que a comissão de apoio às recandidaturas de Pinto da Costa à presidência do FC Porto pretenda, desde já, incentivar o NGP a prolongar a sua liderança por mais anos.

Conforme disse à agência "Lusa" Fernando Cerqueira, presidente da referida comissão: "Queremos que continue à frente do clube e que a sua candidatura seja feita com o apoio de 15 ou 20 mil sócios, pois com cinco mil ou dez mil significa que algo está mal. Arranjar essas assinaturas obriga a um trabalho exaustivo de cerca de um ano. Queremos ouvir a vontade de Pinto da Costa para começarmos já essa tarefa".

Repito, quando é que posso assinar?
.
Um abraço a todos e um forte POOOOORTOOOOO!!!

Oitavos - At. Madrid

FC PORTO - AT. MADRID





Entre At. Madrid, Chelsea, Inter, Lyon, Real Madrid e Villarreal...

Saiu o At. Madrid!
Cá teremos o Maniche, o Paulo Assunção, o Simão, o Maxi, o Kun Aguero, ...

Pena não ter saido o Inter ou o Chelsea!...
Fica para os Quartos...


PS: A campanha europeia dos vermelhos é de rir, rir, rir, e chorar por mais!...

quinta-feira, 18 de dezembro de 2008

Chiça! Estava a ver que tinha de chamar o Prof. Bambo!

9ª jornada da Liga 2008/09
Estádio José Gomes, na Amadora
Árbitro: Paulo Baptista

ESTRELA DA AMADORA: Nélson; Hugo Gomes, Mustafá (Ndiaye aos 20m), Carreira «cap.» e Moreno; Celestino (Pedro Pereira aos 65m), Marcelo Goianiria, Fernando Alexandre e Vidigal; Silvestre Varela e Anselmo (Rui Varela aos 73m);
Treinador: Lázaro Oliveira;

FC PORTO: Helton; Fucile, Rolando, Bruno Alves e Pedro Emanuel «cap.» (Tomás Costa aos 90m); Fernando, Raul Meireles (Guarin aos 85m) e Lucho González; Lisandro Lopez, Hulk (Mariano Gonzalez aos 88m) e C. Rodríguez;
Treinador: Jesualdo Ferreira;

Resultado final: 2-4;
Marcadores: Lisandro Lopez (aos 10m), Moreno (aos 27m), Rodríguez (aos 45 e 85m), Vidigal (aos 62m) e Hulk (aos 64m);
.
Mas felizmente não foi preciso.

E qual falta de comparência, qual quê!
Esta equipa não precisa de ajudas. Nem de ganhar jogos na secretaria.
Queremos apenas arbitragens honestas, jogar e ganhar dentro das quatro linhas.

E para isso nada como arrancar a 100 à hora. Desde o início.
Com Licha e Hulk cada vez mais em sintonia. Duas “máquinas” que levam tudo à sua frente.
Com C. Rodríguez a subir de forma e confiança. De trás para a frente. À Alain Prost.
.
Ainda sem Lucho.
O que só me faz pensar: Aonde poderá esta equipa chegar quando Lucho finalmente aparecer?
.
De resto foram 4 golos marcados e outros tantos por marcar.
Com a equipa a jogar com vontade, alegria e atitude. Com uma frente de ataque mais activa. Criando cada vez mais oportunidades de golo.
Criticas para o modo como sofremos o 2º golo do Estrela. Impensável que tal falha se repita.
.
E com o acerto de calendário feito, já estamos a morder os calcanhares aos abutres. Tenho cá um pressentimento que não vão aguentar a pressão.

Uma palavra final para a equipa do Estrela: Digna!
Espero que haja por parte dos seus dirigentes o devido respeito pelo sacrifício destes profissionais.

Os nossos golos:



As palavras dos nossos intervenientes:
Jesualdo Ferreira
«Foi uma vitória sem discussão, com um resultado justo, mas curto. Houve golos a mais do Estrela e golos a menos do F.C. Porto. É uma diferença curta para as oportunidades que criámos. Mas saliento que, com todas as dificuldades que atravessa, o Estrela vendeu cara a derrota e ainda conseguiu empatar duas vezes. É uma equipa com brio, bons jogadores e bem organizada.»
Sobre o 1º golo do Estrela: «Aquele lance acontece uma vez na vida, mas acabou por ser bom porque o F.C. Porto sente-se bem com desafios. A equipa motivou-se e no fundo são situações dessas que nos fazem crescer. Mas é verdade que não gostei de sofrer dois golos neste jogo.»
Sobre C. Rodríguez: «Disse há pouco tempo uma coisa que causou muita surpresa. O Rodríguez é um jogador que teve pouco tempo de treino no F.C. Porto. Agora, com menos compromissos internacionais, percebe-se que está noutro nível. Estava muito cansado pelas viagens e entendemos que devíamos fazer uma gestão do jogador, assim como do Guarín e dos portugueses que vão habitualmente à Selecção. Ao fim de quatro ou cinco meses está tudo mais equilibrado e temos melhor conhecimento das características dos jogadores.»

Pedro “Olhar de Dragão” Emanuel
«Sabíamos que era um jogo difícil, porque a situação do E. Amadora merecia o nosso respeito e tentámos encarar o jogo dessa forma. O terreno não ajudou, mas o objectivo eram os três pontos e pressionar os nossos adversários. Fizemos o 1-0, tivemos oportunidade para fazer o segundo, mas eles empataram, mas depois voltámos a marcar. Eles fizeram o 2-2, mas logo de seguida marcámos outra vez e depois conseguimos o 4-2. Mas não deixa de ser um susto e uma lição.»
Sobre a Liga: «Gostava de fechar o ano à frente, não vou dizer o contrário. Estamos atrás e não nos sentimos bem nessa posição. O F.C. Porto está a conquistar pontos que perdeu no passado recente.»
Sobre o facto de jogar a lateral: «Acima de tudo, quero ajudar a equipa. A minha satisfação é jogar, independentemente do sítio
Sobre o sorteio da Taça de Portugal: «O Leixões ainda está distante, temos outros compromissos, como a Taça da Liga, mas é um adversário que está bem.»

Um abraço a todos e um forte POOOOORTOOOOO!!!

quarta-feira, 17 de dezembro de 2008

Obra de arte!



Acertar o passo

Vamos lá acertar as jornadas com o resto do pessoal, que isto de ter jogos em atraso só atrapalha.
E, já agora, acertemos com uma vitória!

O Estrela lá anda a ameaçar a greve.
A uns dias dos jogadores poderem sair para outros clubes, com justa causa, não me parece que uma greve tenha grande sentido, nem acho que vá para a frente, mas enfim… serve para chamar a atenção sobre o seu problema, e fazer algum bluff.

A Reboleira nunca é um campo fácil.
O Estrela nunca é um adversário fácil.
Por isso, temos de estar concentradíssimos e fazer um grande jogo.
E ficar com os vermelhos ao alcance, para chegarmos ao fim de 2008 no comando do campeonato!

CONVOCADOS:
Guarda-redes: Helton e Nuno.
Defesas: Fucile, Bruno Alves, Rolando, Pedro Emanuel, Stepanov e Benítez.
Médios: Fernando, Raul Meireles, Lucho, Guarín e Tomás Costa.
Avançados: Lisandro, Hulk, Rodríguez, Candeias, Farías e Mariano.

*

Uma das capas de jornal de hoje diz “Leo pode sair de borla”…
Leo. Defesa esquerdo…
Ummm… E porque não?...

Pudera...

É que não tarda nada e na Liga Portuguesa é que a "equipa para lutar em todas as frentes" pode (tentar) conquistar algo.

Um abraço a todos e um forte POOOOORTOOOOO!!!

domingo, 14 de dezembro de 2008

Falam, falam, falam, mas... não os vejo a ganhar nada!!!

Pois é... já foram!!!
E assim, a "equipa para lutar em todas as frentes" regressa a Lisboa mais uma vez com o rabinho entre as pernas. E, perante um bravíssimo Leixões, nem sequer merecia chegar às grandes penalidades.
.
É que enquanto uns apenas falam, falam, falam, outros FAZEM e, por isso, erguem troféus atrás de troféus em Portugal e por esse mundo fora.
Evitando aos seus adeptos elevadíssimas despesas em psiquiatras (Mas, ó Doutor, porque é que a melhor equipa do mundo e arredores não ganha nada?) e em naftalina para afastar a traça (maldito bicho!) dos cachecóis eternamente guardados.
.
Um abraço a todos e um forte POOOOORTOOOOO!!!

sábado, 13 de dezembro de 2008

Festa da Taça a caminho do Jamor...

Oitavos-de-final da Taça de Portugal
Estádio Municipal Prof. Cerveira Pinto, em Cinfães
Árbitro: João Capela (Lisboa)
.
CINFÃES: Miguel Matos; Nakata, Jonas, Kipulo e Luís; Pinto (Serra aos 86m), Rogério e Rui Gonçalves; Mauro (Zé Pedro aos 85m), Sérgio Silva (Sidon aos 88m) e Miki;
Treinador: Vítor Moreira;

FC PORTO: Nuno; Tengarrinha (Candeias aos 35m), Stepanov, Rolando e Lino; Tomás Costa, Pelé e Guarin; Tarik Sektioui (Hulk aos 71m) , Farías (Rabiola aos 87m) e Mariano;
Treinador: Jesualdo Ferreira;

Resultado final: 1-4;
Marcadores: Farías (aos 52m), Sérgio Silva (aos 76m), Guarin (aos 78m e 86m) e Candeias (aos 82m);

Como não vi o jogo, deixo-vos infra a crónica de quem viu e aqui o resumo do jogo.

Maisfutebol (13/12/2008)
"O F.C. Porto garantiu o resultado esperado, na 5ª eliminatória da Taça de Portugal, mas a história deve reservar um capítulo para uma brava legião de Cinfães, enaltecendo a abnegação da equipa da III Divisão frente ao tricampeão nacional. Os dragões regressam a casa com uma vantagem de três golos, mas arriscaram demasiado. Sem castigo, de qualquer forma.
.
Jesualdo Ferreira poupou oito titulares e promoveu um exame global às soluções existentes no plantel do F.C. Porto. A Taça de Portugal surge como cenário de rodagem competitiva para os elementos pouco utilizados até ao momento. O grande desafio consiste em colocar os índices de motivação a um plano aceitável. Uma vez mais, a resposta não convenceu.
.
O plano B do F.C. Porto foi insuficiente para intimidar o Cinfães, terceiro classificado da Série C da III Divisão. As realidades são incomparáveis. O treinador portista reuniu um grupo de internacionais e subiu o rio Douro, encontrando uma terra onde o azul e branco predomina. Na 5ª eliminatória da Taça, com o coração dividido, os locais prometeram torcer pela equipa da casa, esquecendo a simpatia pelos tricampeões nacionais.

Com pasteleiros, estudantes, engenheiros e um treinador dedicado à sua loja durante a semana, o Clube Desportivo Cinfães foi controlando a ansiedade até ao momento do apito inicial. Seguiu-se o mais fácil: jogar futebol. Estes homens, trabalhadores anónimos durante os dias da semana, tinham a oportunidade única para assinalarem as carreiras desportivas com letras douradas.

Durante largas semanas, todos iriam falar da segurança defensiva de Kipulo e Jonas, nomes mais conceituados do plantel. Nos cafés, choveriam elogios à classe de Rui Gonçalves, à velocidade de Mauro pela direita, à irreverência de Miki pela esquerda. O F.C. Porto, atrapalhado, ia fazendo o jeito, tremendo a cada investida.

Ao longo da etapa inicial do encontro, cinco mil pessoas assistiram a um duelo equilibrado entre dois clubes com quatro escalões de diferença. Equilíbrio até soa a elogio, face ao desempenho cinzento dos dragões, mas o Cinfães não conseguiu marcar e foi perdendo a fé. Jesualdo Ferreira sentiu o perigo e respondeu pouco depois da meia-hora, trocando o aflito Tengarrinha por Candeias. Lentamente, o F.C. Porto despertou.
.
Curiosamente, o golo portista surgiu quando o Cinfães desenhava mais um ataque. Passe errado, bola em Mariano González e talento a resolver um problema bicudo. O argentino flectiu da esquerda para o centro, Miguel Matos defendeu para a frente e Ernesto Farías desfez o nulo, na recarga.

O F.C. Porto encarava a etapa complementar com maior tranquilidade, dedicando o seu tempo a gerir a magra vantagem. O adversário ia baixando os braços, claudicando em termos físicos, e os dragões voltaram a entrar numa espiral de sobranceria. Quando Sérgio deu uma tremenda cabeçada na apatia generalizada, após canto cobrado por Miki, voltou a pairar a incerteza. O sonho esfumou-se rapidamente. Guarín bisou em lances de bola parada e, pelo meio, Candeias também picou o ponto. Ponto final, aliás."

As palavras dos nossos intervenientes:
Jesualdo Ferreira
«Quero felicitar o Cinfães pois tem uma equipa muito boa, atrevida, um relvado excelente, muito rápido. Foi uma má primeira parte do Porto, com pouca atitude. Na segunda entrámos melhor, pressionámos, fizemos o primeiro golo. Quando se joga a representar o Porto é importante que todos saibam que desde o primeiro minuto têm de ter uma atitude séria.»
«Na primeira parte era importante jogar pelas faixas. O Candeias entrou bem, mas só estabilizou na segunda parte. Era importante que conseguíssemos criar maiores dificuldades ao adversário. É bonito ver gentes nas varandas a ver o futebol. É festa, é Taça. Momento mau da primeira parte e razoável na segunda. Foi um jogo bom para conversarmos sobre ele. O Freddy (Guarín) é o exemplo daquilo que eu penso.»

Um abraço a todos e um forte POOOOORTOOOOO!!!

CAMPEÃO DO MUNDO


.


Para mim, este jogo representa tudo o que é o



FUTEBOL CLUBE DO PORTO !

sexta-feira, 12 de dezembro de 2008

Seja bem-vindo “chefinho”…

Maisfutebol (10/12/2008)
“Helton, guarda-redes do F.C. Porto, deu a sua camisola ao regressado Reinaldo Teles, após a vitória frente ao Arsenal. O vice-presidente portista esteve afastado dos relvados devidos a problemas de saúde mas marcou presença no último jogo da fase de grupos da Liga dos Campeões: “Dei-lhe a camisola com todo o gosto. O chefinho, para nós, é uma pessoa muito importante. Ficámos muito felizes com o seu regresso ao balneário, aos estádios de futebol. Eu, de uma forma carinhosa, procurei dar-lhe a minha camisola, para o homenagear.””
.
As palavras de Helton são reveladoras do sentimento de todos os jogadores e da comunidade azul e branca.
Com mais de 2000 jogos (segundo ouvi dizer) no banco do FC Porto, Reinaldo Teles é uma figura incontornável na história do clube e a sua presença discreta, mas sempre atenta, é de enorme importância para o fortalecimento do ambiente e da mística no balneário portista.

Por isso, “chefinho”, o banco espera por si.

Um abraço a todos e um forte POOOOORTOOOOO!!!

Silêncio ... que se vai fazer HISTÓRIA (única) no futebol português

.

Pedro "Olhar de Dragão" Emanuel está preparado para marcar, olha para a baliza, parte para a bola e .....

BICAMPEÕES DO MUNDO!!!

.

P.s. - Uma das imagens de marca do FC Porto é que os sucessos passados são para ser recordados, mas, mais importante ainda, são para ser AUMENTADOS (a vencer desde 1893...). Por isso, felizmente que o nosso coordenador Azzulli já acautelou a possibilidade de o nosso blog poder ser OBRIGADO a ter de alterar o nome. Para este...

quinta-feira, 11 de dezembro de 2008

Fantasy Football - Campeões de Inverno

... e com o Pedro Resende na liderança!
Facilitou um pouco (muito até), mas aguentou a liderança por uma unha negra...
é o nosso Campeão de Inverno!

O Tiago Silva subiu ao 2º posto, ficando a 2 pontos da liderança.
O Luis Carvalho fica no 3º lugar.

Quanto aqui aos administradores do Bicampeões do Mundo, o Eterno é o lider! Está em 8º lugar geral.
Em 2º está o Azzulli (12º geral), em 3º o Penta (19º), 4º o Fanático (22º), 5º o Situacionista (38º), e... onde anda o Soldado Azul?...

Aqui estão os 30 primeiros:


fantasy_06

Obrigação cumprida com resultado curto...

6ª Jornada da UEFA Champions League (Grupo G)
Estádio do Dragão, no Porto
Árbitro:
Kyros Vassaras (Grécia)

FC PORTO: Helton; Fucile, Rolando, Bruno Alves e Pedro Emanuel «cap»; Lucho (Tomás Costa aos 78m), Fernando e Raul Meireles; Lisandro, Hulk (Guarin aos 87m) e C. Rodríguez (Mariano aos 78m);
Treinador: Jesualdo Ferreira;

ARSENAL: Almunia «cap»; Eboué, Gallas, Djourou e Silvestre; Ramsey (Wilshere aos 59m), Denilson, Song (Randall aos 78m) e Diaby (Gibbs aos 59m); Vela e Bendtner;
Treinador: Arsène Wenger;

Resultado final: 2-0;
Marcadores: Bruno Alves (aos 39m) e Lisandro (aos 54m);
.
Vitória saborosa, mas com um resultado que “soube a pouco”, face às muitas oportunidades criadas na 2ª parte e à vontade manifestada pelos jogadores. Vejam o resumo aqui.

Foi, portanto, um resultado curto. À medida do treinador que temos: curto de vistas e com personalidade pequena demais para uma Champions.

Mas falemos do que mais importa:
Frente a um Arsenal que encarou este jogo de forma displicente, quase como se fosse um castigo que lhe tinha sido imposto, o nosso FCP foi, pelo contrário, sério na abordagem do jogo e como tal colocou a “carne toda no assador” com vista a conseguir a vitória e o 1º lugar do grupo.
.
Mas só na 2ª parte é que conseguimos contrariar a excelente e rápida troca de bola do Arsenal e partir para cima deles.
.
Dois excelentes golos marcados. Pelo menos outros tantos por marcar. Mas mesmo assim sentia-se "medo" no banco e vocês já sabem de quem eu estou a falar.
.
Entre outros (B. Alves, Licha, etc…) destaco a magnífica exibição de Fernando. Depois de um começo hesitante, soltou-se na 2ª parte e foi vê-lo jogar com um entusiasmo e uma alegria impressionantes. Estupendo o passe para Licha no 2º golo.
.
Quanto ao Arsenal só teve o que mereceu.
.
As palavras dos nossos intervenientes:
Jesualdo Ferreira
«A equipa do F.C. Porto também é jovem, nova e tem pouca experiencia nestas competições. Provavelmente alguns dos jogadores mais novos do Arsenal têm mais experiencia do que os do Porto. Mérito total para o F.C. Porto que conseguiu ser primeiro do grupo. Nós fomos muito fortes tacticamente, soubemos sofrer e retirar proveito dos espaços que esta equipa do Arsenal dá. A segunda parte do Porto foi excelente e ficámos a dever a nós mais alguns golos. Mérito aos meus jogadores que jogaram muito bem. Fizemos um final de grupo fantástico com 3 vitórias consecutivas. Não sei se alguém mais o conseguiu. As vitórias e experiência que fomos adquirindo ao longo destes jogos fizeram com que os jogadores percebessem melhor como jogar na Liga dos Campeões. Muitos parabéns aos jogadores do F.C. Porto.»
Sobre a possibilidade de encontrar Scolari ou Mourinho nos oitavos-de-final: «Nós sabíamos que ficar em primeiro ou segundo era muito subjectivo, porque como os grupos estão há grandes equipas no segundo lugar. Mas, nós queríamos ganhar este jogo. Os jogadores deram muito mais valor a esta vitória do que se tivéssemos feito um jogo normal. Quem vier será muito bem recebido por nós, pois vamos fazer todos os possíveis para seguir em frente. Pode ser que este ano sejamos felizes e consigamos passar [aos quartos-de-final].»

Um abraço a todos e um forte POOOOORTOOOOO!!!

terça-feira, 9 de dezembro de 2008

Dar-lhe o que merece!

Diz o senhor Wenger: "Espero continuar a sorrir amanhã"

O mesmo senhor, para além de ter Nasri e Fábregas lesionados, também não convocou Sagna, Clichy, Adebayor, Van Persie e Theo Walcott.

Eu já estava com vontade de lhes dar os 4 de volta.
Agora redobrei a minha vontade!

Vamos lá ganhar o grupo!!
Força PORTO!!!

Ou muda definitivamente de atitude e arrepia caminho ou...

.
"Ricardo Quaresma foi nomeado esta segunda-feira vencedor do «Bidão de Ouro» 2008, prémio atribuído anualmente pelo programa radiofónico Catersport, da Rai Radio 2, à grande desilusão do campeonato italiano." (cfr. aqui)
.
Bom, porque gosto do Quaresma, pelo seu real valor e por tudo que ele fez pelo FC Porto espero bem que consiga alterar o panorama actual. Mas uma coisa é certa, neste momento, com a crise mundial e com o desempenho do Quaresma, o Morratti deve estar a deitar as mãos à cabeça pelo valor que pagou pela compra do Cigano.

Nota:
Hoje começa a derradeira jornada da 1ª fase do Fantasy Football da UEFA.
Devem verificar as equipas até às 19h30.
Nota2:
O Luis Carvalho deverá optar hoje, até ao incio da jornada, por uma das suas três equipas.

segunda-feira, 8 de dezembro de 2008

Já prenderam o gatuno ?

.
1. Na jogada que dá origem ao primeiro golo, Suazo parte em fora de jogo, que não foi assinalado.
2. Lance de ataque perigosíssimo do Marítimo, com árbitro assistente a marcar um fora de jogo totalmente inexistente.
3. Luisão, ainda na primeira parte, já amarelado, empurra Djalma, que se isolava. No passa nada...
.
Colinho, colinho, muito colinho.....
.
.
P.s - 1 - Dou de barato que o penalty foi bem marcado. Apesar de o Jorge Coroado dizer que: "Em primeiro lugar, há pé em riste de Suazo sobre Marcos. Livre indirecto que deveria ter sido sancionado e não a grande penalidade que foi assinalada." O problema é que o Jorge Coroado, após todos estes anos, ainda não encontrou a dose ideal para a medicação ...
.
P.s. 2 - Espero que contra nós o Maritimo também jogue só com 3 defesas !

sábado, 6 de dezembro de 2008

Muito importante...

11ª jornada da Liga Portuguesa 2008/09
Estádio do Bonfim, em Setúbal

Árbitro: Jorge Sousa (AF Porto)

V. SETÚBAL: Pedro Alves; Janício, Anderson, Robson e Cissokho; Hugo (Elias aos 69 min), Ricardo Chaves «cap.», Leandro Lima e Mateus; Bruno Gama (Leandro Branco aos 57 min) e Laionel (Leandro Carrijo aos 69 min);
Treinador: Daúto Faquirá;

FC PORTO: Helton; Fucile, Rolando, Bruno Alves e Lino; Fernando, Tomás Costa (Guarin aos 57 min) e Lucho «cap.»; Lisandro, Hulk (Sektioui aos 82 min) e C. Rodríguez (Mariano aos 68 min);
Treinador: Jesualdo Ferreira;

Resultado final: 0-3;
Marcadores: Bruno Alves (aos 66 min), Guarin (aos 68 min) e Lucho (aos 80 min);
.
Vitória muito importante num jogo em que o resultado foi melhor, aliás, bem melhor do que a nossa exibição.
.
Com Leandro Lima em grande destaque (o miúdo parece ser mesmo craque), o Setúbal foi um adversário moralizado e que muito complicou o jogo.
Mas mais do que a atitude do adversário, foi a nossa (falta) de atitude na 1ª parte que me indignou.
Com Lucho, outra vez, preocupantemente ausente, o FC Porto viveu apenas do que Hulk conseguia fazer. E perante a incapacidade dos colegas alguém pode reclamar dele tentar fazer quase tudo sozinho?
É certo que a ausência de Raul Meireles foi sentida, até porque é actualmente um dos elementos em melhor forma da equipa, mas isto não explica tudo e é bom que a equipa arrepie caminho, por senão…

Na 2ª parte finalmente aparecemos um pouco mais em jogo, mais concentrados e com menor número de perdas de bola. Foi o que bastou para criarmos oportunidades e golos. Frente a outro adversário pode não chegar.
.
Mais uma vez Hulk provou que é imprescindível, neste momento, para a equipa. Correu, lutou, fintou e rematou com uma vontade impressionante. Carregou com a equipa às costas.
.
Até deu para demonstrar que sabe soltar a bola.
O golo que ofereceu a Guarin, quando todos pensavam que ia tentar o remate, é disso um bom exemplo.

Os nossos golos:


As palavras dos nossos intervenientes:
Jesualdo Ferreira
«Sabíamos que íamos encontrar uma equipa moralizada, que joga bem. O V. Setúbal mostrou isso mesmo na primeira parte. Entrámos bem mas fomos perdendo fulgor, apesar de termos criado algumas oportunidade. A equipa do F.C. Porto começa a jogar noutro sistema, de forma diferente em relação aos últimos dois anos. Chegámos lá nesse sistema, fizemos três golos. A equipa entrou melhor na segunda parte, demonstrou resistência física. Vencemos um jogo difícil que nós tornámos fácil. Sabíamos que, com ataque rápido, podíamos chegar mais facilmente ao objectivo. O Raul Meireles parou porque sentia muita fadiga. Por outro lado, temos de fazer crescer jogadores. Percebeu-se que o Raul é um jogador importante, mas a equipa supriu a sua ausência. A equipa começa a ganhar mais confiança, mais rotina. O campeonato para nós é prioritário, segue-se um jogo com o Arsenal em que queremos proporcionar um bom espectáculo e jogar bem.»

Um abraço a todos e um forte POOOOORTOOOOO!!!

sexta-feira, 5 de dezembro de 2008

COMO É BOM SER DO FCPORTO!



Nunca é demais relembrar .

Cara(o)s amiga(o)s, adepta(o)s do S.L.B. e S.C.P.,

A minha ideia ao enviar este mail, não é transmitir-vos a ideia de que os vossos clubes são "pequenos" em comparação com o GRANDIOSO F.C.P.... mas apenas (e só) a tentativa de vos demonstrar o porquê do orgulho de ser Dragão.

Dirão que metade foi "roubado"... e que outra metade foi sorte... mas eu vi jogar Teófilo Cubillas, Pavão, Custódio Pinto, Seninho, Duda, Frasco, Fernando Gomes, João Pinto, Józef Mlynarczyk, Augusto Inácio, André, Jaime Magalhães, Madjer, Paulo Futre, Juary, Branco, Geraldão, Fernando Couto, Paulinho Santos, Rui Barros, Domingos, Kostadinov, Ljubinko Drulovic, Aloísio, Capucho, Sérgio Conceição, Mário Jardel, Jorge Costa, Deco, Jorge Andrade, Paredes, Vítor Baía, Dmitri Alenichev, Ricardo Carvalho, Paulo Ferreira, Costinha, Maniche, Derlei, Benni McCarthy, Pedro Emanuel, Seitaridis, Diego, Pepe, Ricardo Quaresma, Lucho González, Anderson e Helton (e outros) e... como eles eram, e continuam a ser, magistralmente superiores !!

É no campo que se ganham os jogos... O Porto de Robson, de Oliveira, de Carlos Alberto Silva, de Mourinho e de Pedroto, foram (ao longo dos últimos 30 anos) prestando homenagens aos portugueses, através de verdadeiros recitais de futebol... Agora deixo-vos um verdadeiro legado histórico e inconfundível... e pensem, no pesadelo dos próximos 30 anos... !!!

PS: Mantenham, pois a compostura e tenham fair play, na leitura! Obrigado.


Segundo o "Worldwide Historical Clubs Ranking", o Futebol Clube do Porto é considerado o maior clube português, o 10º maior da Europa e o 20º maior do Mundo. [1]

O FC Porto é o clube português com mais títulos internacionais, o 3º da Península Ibérica, o 9º da Europa e o 16º do Mundo (ver Ranking Mundial de Títulos).

O FC Porto é o clube português com maior número de títulos, contando actualmente 265 títulos oficiais (somando: Internacionais, Nacionais e Regionais) e 110 títulos oficiais (somando apenas: Internacionais e Nacionais) (ver: Ranking Nacional de Títulos) NOTA: Este ranking encontra-se falseado ja que foi somado ao palmarés do SL Benfica 15 campeonatos nacionais de escolinhas, escalão esse que nunca teve tal competição. Na verdade, descontando esses 15 títulos ao SL Benfica, o FC Porto é o líder com 110 e Benfica em segundo com 107.

O FC Porto é o clube europeu com mais títulos no século XXI. Entre campeonatos, taças, supertaças e troféus internacionais, os portistas solidificaram uma hegemonia que não encontra rival à altura nos 25 países mais cotados da UEFA. O FC Porto soma 14 títulos só no século XXI, Bayern de Munique e Liverpool com 10 cada um são os mais próximos.

O FC Porto é o clube português com maior número de títulos no Futebol, contando actualmente 110 títulos oficiais (2 Taças Intercontinentais / Mundiais de Clubes; 2 Taças / Liga dos Campeões Europeus; 1 Taça UEFA; 1 Supertaça Europeia; 22 Campeonatos Nacionais de Séniores; 17 Taças de Portugal; 15 Supertaças de Portugal; 19 Campeonatos Nacionais de Juniores; 17 Campeonatos Nacionais de Juvenis; 12 Campeonatos Nacionais de Iniciados; 2 Campeonatos Nacionais de Infantis) contra 107 do Benfica e 76 do Sporting .

O FC Porto é o clube português com mais títulos internacionais (6), tem mesmo mais que todos os outros clubes portugueses juntos.

O FC Porto é o único clube pentacampeão nacional.

O FC Porto é o clube com mais Supertaças Nacionais conquistadas.

O FC Porto já disputou 22 das 28 finais da Supertaça Nacional.

O FC Porto conseguiu, até hoje, fazer a "Dobradinha" por 5 ocasiões (1955/56; 1987/88; 1997/98; 2002/03; 2005/06), ou seja, ser Campeão Nacional e Vencedor da Taça de Portugal, na mesma época.

O FC Porto já fez o pleno nacional ou seja, fez a "Tripla" por 3 vezes (1997/98; 2002/03; 2005/06), ou seja, ser Campeão Nacional, Vencedor da Taça de Portugal e Vencedor da Supertaça Nacional, na mesma época.

O FC Porto é o clube português com mais participações na Liga dos Campeões com o formato actual falhando apenas na época 1994-95, e na época 2002-03, quando venceu a Taça UEFA.

O FC Porto tem um dos melhores registos mundiais de invencibilidade nas competições internacionais, em casa, 29 jogos (1974/75 até 1987/88).

O FC Porto é o único clube português que conseguiu vencer na mesma temporada o campeonato, a Taça de Portugal e a competição Europeia em que esteve envolvido (em 2003).

O FC Porto é o clube português com mais botas de ouro conquistadas (3).

O FC Porto contém nos seus quadros futebolísticos, uma das maiores referências da história do futebol português e particularmente do FC Porto, Vítor Baía. Actualmente, Baía é o jogador com mais títulos da história do futebol mundial, com 32. Atrás aparecem Pelé e Rijkaard com 25 cada um.

O FC Porto tem, segundo o seu último relatorio e contas, 83.669 sócios pagantes. No ano anterior o clube tinha 86.229, tendo por isso perdido 2560 sócios no espaço de um ano. [2]

O FC Porto é o único clube português que faz parte do Grupo G-14, o grupo dos clubes mais poderosos da Europa.

Segundo o Ranking Histórico Mundial de Clubes, o Futebol Clube do Porto é considerado, em termos de currículo, o maior clube português, o 10º maior da Europa e o 17º maior do Mundo.

Tendo em conta um estudo realizado em 2004 pela FutureBrand, uma empresa americana especializada em consultoria de marcas, o FC Porto é a marca mais valiosa do futebol português. O estudo apresenta as 30 marcas mais cotadas do futebol europeu e Portugal conta apenas com um representante, o FC Porto. O estudo teve em conta factores como: o valor das marcas, a lealdade dos adeptos, a capacidade de conseguir aumentar a venda de bilhetes para os jogos e o valor financeiro do clube. Neste ranking de marcas europeias, o FC Porto ocupa a primeira posição em Portugal e a 27ª na Europa [3]. Um estudo semelhante efectuado em 2007 pela empresa alemã BBDO remete o FC Porto para o 2º posto nacional (atrás do SL Benfica), embora a nível europeu o clube se encontre melhor posicionado do que no estudo da FutureBrand, no 21º lugar [4] .

Outras modalidades
O FC Porto é, segundo o "World Clubs Ranking" do site Rink-Hockey.net, o maior clube português e o 4º maior do Mundo de hóquei em patins. [5]

O FC Porto é o clube português que junta maior número de títulos no andebol, hóquei em patins, bilhar e natação; em ciclismo, é o que já venceu mais Voltas a Portugal (23 somando individuais e colectivas).

Tendo em conta apenas os designados "3 Grandes", o FC Porto é o clube português que já conquistou mais títulos no hóquei em campo e no voleibol.

O FC Porto, em duas edições da Liga Nacional de futebol de praia, sagrou-se campeão em 2005 e classificou-se em 3ºlugar em 2006.
UFF!!!!

quinta-feira, 4 de dezembro de 2008

NGP dixit...

A crise...

1. Não é nosso princípio, mas é mau hábito de alguns enfiar a «cabeça na areia», como o faz a avestruz, sempre que os problemas batem à porta.
Se assim procedêssemos, facilmente encontraríamos no imenso Mundo FC Porto razões fortes para nos refugiarmos; no hóquei em patins vencemos o Benfica e lideramos o campeonato; no automobilismo obtivemos uma vitória brilhante na Superleague Formula; no bilhar, as nossas meninas conquistaram a 5a Supertaça consecutiva. E por aí fora ...
Na verdade, e ainda que isso doa muito aos nossos inimigos e a outros aspirantes ansiosos, o crescimento do FC Porto foi de tal ordem que é praticamente impossível passar-se um dia sequer sem que tenhamos motivos fortes para celebrar vitórias, êxitos e ultrapassar desafios permanentes.
Mas não, nós não somos assim! Conscientes da realidade, preferimos admitir que a crise toca a todos e que urge responder-lhe com serenidade, eficácia e determinação, preparando com essa simples atitude o advento do futuro.


2. Não há ninguém, nem mesmo o mais distraído dos leitores, que possa passar ao lado do estilo provinciano com que os jornais lisboetas tratam os êxitos do FC Porto, mal disfarçando o desconforto e até a raiva que lhes causa cada vitória do nosso Clube, até mesmo no plano internacional.
O mais recente exemplo deu-o o Record, no dia a seguir à dificílima partida que o FC Porto realizou e venceu com o Dínamo de Kiev, na Ucrânia, relançando dessa forma a sua habitual e legítima pretensão à passagem para a fase seguinte da «Champions». Os escribas do costume, com o despudor que lhes é característico, publicaram uma vergonhosa 1a página em que a referência escondida à vitória do FC Porto mal se descobre; ao invés, o «super leão» teve novamente honras de destaque, certamente porque nesse dia nenhum jogador da instituição da Luz ou seu familiar festejava aniversário, e, à falta de treino dos encarnados, não havia quaisquer lances mirabolantes para referir. O Portugal lisboeta quase pára quando os vermelhos estão de folqa!
(...)

Jorge Nuno Pinto da Costa

quarta-feira, 3 de dezembro de 2008

Vitor Baía e a (sua) formação - (post com aditamento)

O Vítor Baía participou ontem num debate sobre futebol promovido pelo Clube dos Pensadores, no Porto, no qual deixou 2 ou 3 ideias muito interessantes.

Entre elas, chamo a vossa particular atenção para as suas opiniões quanto à formação.
.
A começar pela dos verdes. Mais concretamente quanto à razão para o nascimento do (esgotado, digo eu) elogio à formação dos verdes, que até quase virou mito.

Diz o Vitor:
“A formação do Sporting é realmente competente, mas nasceu em virtude do clube falhar muitas contratações», disse. «É o resultado de uma gestão menos acertada».

Esta análise é deveras pertinente. Mas diz mais:

«Tem sido uma excelente escola, mas que peca por não aproveitar os jogadores que forma e que acabam muitas vezes por ser aproveitados noutros clubes, nomeadamente no F.C. Porto», adiantou.
».

Depois, o jogador mais titulado do mundo falou sobre a formação do FC Porto:

No F.C. Porto estamos a trabalhar para formar jovens de forma a poder integrá-los depois no plantel principal. Estamos trabalhar de forma sustentada e segura, num projecto a longo prazo, até para combater a redução de meios financeiros no futuro», referiu, alertando para a necessidade urgente de se valorizar o jovem português.”

Finalmente, tocou noutro aspecto, relacionando formação e (des)comunicação social, que não posso deixar de realçar. Ora notem bem:

Vítor Baía admitiu que a intenção no Olival é formar jovens jogadores à Porto. Para isso utiliza-se a comunicação social e o que o clube considera ser uma diferença de tratamento, colando recortes dos jornais nas paredes dos balneários. «Enquanto jogador notava muito a diferença de tratamento, mas espero que não mude».
A formação de um jogador à Porto passa muito por aí,
acrescentou. «A educação desportiva no F.C. Porto quando se é jovem passa por fortalecer os laços de ligação ao clube dessa forma e a diferença de tratamento na imprensa fomenta a própria mística. Trata-se até de uma forma de motivar os miúdos e fazê-los crescer mentalmente».
(conferir aqui)
.
.

Eu diria, para terminar, também 2 ou 3 coisas:
Uma, esperemos, por dois motivos, que a formação dos verdes siga de vento em popa...
Duas, será que tenho de começar a falar bem do miserável e vergonhoso trabalho da corja jornaleira ?
Três, o nosso mítico guardião e actual dirigente está a seguir os passos certos na sua formação …
.

ADITAMENTO:

"Adriaanse tem que pagar um milhão!
O Tribunal Arbitral do Desporto condenou Co Adriaanse a indemnizar o F.C. Porto em 995.238 euros, quase um milhão... Jan Olde Riekerink, antigo adjunto do treinador holandês nos “dragões”, terá também de desembolsar uma quantia avultada: 74. 821 euros. Adriaanse já havia sido condenado a ressarcir os “azuis e brancos”, mas recorreu para o TAS. A sentença, no entanto, foi novamente favorável ao FC Porto e Co Adriaanse condenado por ter rescindido sem justa causa o contrato que ligava ambas as partes. O caso remonta a Agosto de 2006, quando Co Adriaanse decidiu afastar-se do comando técnico do FC Porto ainda no estágio de pré-temporada. O treinador seria substituído mais tarde por Jesualdo Ferreira que, na altura, iniciava um projecto ao serviço do Boavista. Co Adriaanse tem 60 anos e treina actualmente os austríacos do Red Bull Salzburgo.
" (conferir
aqui).

Só para relembrar...

... os grandes amigos que eles são.

Revejam o "trabalhão" que teve o Quim só para nos provar que podemos sempre contar com eles!!!




Simplesmente fantástico!!!
Horas de trabalho específico, sem dúvida!!!

E parece que os adeptos adoptaram o bom e velho estilo do "Orelhas", ou seja, pela boca morre o peixe. E como tal exibiram durante o jogo faixas que diziam, mais ou menos, o seguinte: "Vimo-nos gregos, mas já estamos em 1º".
Enfim... eles podem não estar imparáveis, mas são absolutamente IMPAGÁVEIS!!!

Um abraço a todos e um forte POOOOORTOOOOO!!!

terça-feira, 2 de dezembro de 2008

Grandes amigos...

Após o jogo contra o Fenerbahçe li no jornal OJogo a análise do JVP.
A certa altura escreve ele:
“A propósito da vitória de ontem, vou partilhar com os leitores uma mensagem que recebi ontem de um grande amigo, que é portista dos quatro costados. Dizia o seguinte: "Precisávamos de ganhar em Kiev, ganhámos; precisávamos de ganhar em Alvalade, ganhámos; precisávamos de ganhar na Turquia, ganhámos. O Porto faz-me lembrar um grande amigo: quando é preciso, está lá."”

Magnífico!!!
Mas, para não ser injusto, queria dizer que os abutres também me fazem lembrar um grande amigo.
Afinal de contas, quando precisamos que percam pontos… eles perdem!!!

Um abraço a todos e um forte POOOOORTOOOOO!!!

segunda-feira, 1 de dezembro de 2008

Mãos frias, coração (de DRAGÃO) quente...

10ª jornada da Liga Portuguesa 2008/09
Estádio do Dragão, no Porto
Árbitro:
Elmano Santos (Madeira)

FC PORTO: Helton; Sapunaru (Tomás Costa aos 60m), Rolando, Bruno Alves e Fucile; Lucho, Fernando e Raul Meireles; Lisandro, Hulk e C. Rodríguez;
Treinador: Jesualdo Ferreira;

ACADÉMICA: Peskovic; Pedrinho, Luiz Nunes, Orlando e Pedro Costa; Pavlovic «cap» (Madej aos 90m); Cris, Miguel Pedro (Lito aos 69m) e Diogo Gomes; Sougou e Garcês (Éder aos 64m);
Treinador: Domingos Paciência;

Resultado final: 2-1;
Marcadores: C. Rodríguez (aos 24m), Cris (aos 36m) e Raul Meireles (aos 50m);


Fim de tarde frio. Muito frio mesmo.
Propício a ficar em casa. No quentinho.

Mas… nem pensar nisso!!! Bora mas é para o Dragão.
Bem acompanhado pelo Situacionista que hesitou inicialmente, mas também acabou por seguir o apelo do coração.

Chegamos cerca de 15 minutos atrasados. Já não é a primeira vez.
Os restantes elementos do nosso “Bicampeões do Mundo” (e outros amigos) já lá estão.
E também já estão habituados a estes atrasos. Mas mesmo assim fingem “protestar” ao mesmo tempo que esboçam sorrisos cúmplices: “É pá. Esta conduta é inadmissível. Vocês pagam meio bilhete?”. Etc e tal…
Mas este pretenso “mau feitio” também já faz parte do jogo. É bom sinal. É sinal de que fazemos falta lá. Como eles também fazem.

Quanto ao jogo, a Académica foi (felizmente) praticamente inofensiva. O que nos permitiu vencer, sem grandes dificuldades, um jogo em que não estivemos particularmente inspirados. Embora quase sempre dominantes.

Uma palavra para:
- C. Rodríguez: Ouvi dizer que lhe vieram as lágrimas aos olhos quando marcou o golo. Não me admira, pois sentia-se que o “Cebola” precisava como ninguém deste golo. E quando o marcou foi fantástica a forma como foi acarinhado por todos os colegas de equipa. É este o espírito de balneário que se quer e que nos pode fazer campeões outra vez.

- Hulk: Uma força da natureza. Lança o pânico nas defesas adversárias de cada vez que pega na bola e arranca sem hesitar para a baliza. É ainda um pouco precipitado, mas não há ninguém como ele para sacudir o marasmo de qualquer jogo. Tem é que perceber que se aparecem 2 ou 3 adversários para o tentar travar, então algum colega há-de estar sem marcação.

Os nossos golos:


As palavras dos nossos intervenientes:
Jesualdo Ferreira
«O jogo foi sempre muito difícil. A Académica é uma equipa tradicionalmente difícil no Estádio do Dragão, é muit organizada e tem uma forma de jogar que é alterada em função do adversário. O F.C. Porto teve uma entrada muito forte, com ritmos muito elevados, mas, curiosamente, o golo tirou alguma estabilidade. Na segunda parte, a saída do Sapunaru e as outras alterações que fizemos tiraram-nos ritmo. Foi a vez de chegar a fadiga, porque tivemos um jogo muito difícil em Istambul. O único pecado da equipa foi não saber controlar o jogo. Assim teria sido mais fácil. Faltou lucidez, mas nem assim me parece que a Académica tenha criado situações de perigo nesse período».
Sobre o que há para corrigir: «A equipa tem de saber controlar os jogos sobretudo do ponto de vista táctico. Hoje não o fizemos na recta final. Vamos corrigir isso. Resumindo, foi uma vitória justa, com um resultado que podia ser mais dilatado, para dar continuidade às últimas vitórias».

Um abraço a todos e um forte POOOOORTOOOOO!!!