terça-feira, 21 de outubro de 2014

Lição do Tribunal do Dragão

No sábado já tínhamos dado uma repreensão ao Lopetegui.
Serviu para que hoje ele apresentasse um onze e uma tática apropriada à categoria do FC Porto.

Hoje lá tivemos de meter na ordem de novo o Lopetegui, e jogadores também.
A entrada na segunda parte é inadmissível!
Do Lopetegui nenhuma reação para introduzir alterações no onze.
Casimiro dois ou três lances a roçar o segundo amarelo, e muitas perdas de bola.

E lá vem Ruben!
Para substituir Casimiro, pensam todos.
Menos o Lopetegui, que tira o criativo Quintero, para transformar o meio campo em 3 trincos.

Saí a assobiadela da noite! Longa e estridente.
Obviamente.

Com o público enfurecido, foi obrigado a meter o Quaresma.
Sim, Quaresma entrou porque nós o obrigamos!
E Quaresma resolveu!!!

Espero que Lopetegui tenha aprendido de vez algumas regras básicas da Cultura do FC Porto!

.

7 comentários:

Augusto Baptista Ferreira disse...

Sendo assim, obrigado pelos assobios. Ajudaram imenso.

Só não percebo como é que o Casemiro andou a roçar o segundo amarelo quando nem o primeiro levou.

Só pode ser para rir achar que é com atitudes como as de hoje e do último sábado que os adeptos ajudam a equipa. É anedótico haver quem pense assim. Enfim...

Nightwish disse...

Espero bem que não sejam essas as lições que o Lopetegui tenha tirado, muito pelo contrário.
Foi graças a ter mais um jogador a vir buscar jogo que fez com que fosse impossível marcar tão facilmente os poucos jogadores do FCP que podiam sair a jogar com a bola. Até aí, na segunda parte era chuto para a frente a ver se dava alguma coisa.
Se Casemiro falhou no lance... bem, falhou, e em que condições recebeu a bola? Tinha alguma linha de passe que desse garantias? Não tinha, e temos o caso curioso de depois termos o jogador a dizer que as falhas individuais são culpa de todos os jogadores. Mas isto tem lógica para alguém?
E se o treinador mete um jogador estramamente irregular e que só em fundamental em certas situações a pedido vai algo muito mal. Espero que o tenha metido porque era a substituição indicada para as condições e altura do jogo. E, mesmo assim, foi precisa a ajuda do guarda-redes porque o meio campo continuava a não funcionar muito bem.

Fanático disse...

É este tipo de post que nos distingue como adeptos dos da segunda circular: não ficamos eufóricos com uma vitória, que por ora é só uma vitória. Nós, sabemos ver os nossos erros, exigimos aos jogadores e ao treinador o que nós damos ao clube em todos os dias da nossa vida: dedicação, atitude, exigência constante e saber e perceber o que é FCP!!!!!

Rapazes e Lopes: acordem e podemos ser ENORMES ainda esta época, assim permitamos que Ruben Neves, Helton e Ricardo Quaresma vos expliquem o que é a mística do FCP, a razão pela qual nos tornámos em 30 anos num clube planetário e BICAMPEÃO DO MUNDO!!!!

Fanático disse...

E para isso também é essencial que as palavras do Casimiro não sejam meras palavras. Diz ele e bem:

"São erros que temos de trabalhar para não acontecerem. São erros individuais mas quando erra, erra toda a gente e quando acerta, acerta toda a gente. É algo que estamos a trabalhar, porque são coisas que já aconteceram. Não é um problema do sistema, são erros individuais. Eu poderia ter chegado àquela bola, outros colegas poderiam ter ajudado. Estamos a trabalhar nisso"

Azzulli disse...

Augusto, tem razão sobre os amarelos do Casemiro. Ontem durante o jogo estava a falar com o Fanático e Situacionista sobre o perigo do segundo amarelo para ele, totalmente convencido que já tinha um. E assim continuei, até escrever o post…

Quanto à aprendizagem do Lopetegui, o que lhe transmitimos desde as bancadas é que tem de colocar sempre o melhor onze, que tem de jogar com um médio-criativo, que não deve meter jogadores mais defensivos quando empatado, que deve ter a inteligência de saber como motivar a equipa (e público)
Isto, para mim, é ser Porto.
Não vejo onde é anedótico ou errado, Augusto e Nightwish...

Quanto ao Quaresma, é um jogador carismático, corajoso, de grande categoria, e que só por entrar entusiasma todo o público nas bancadas; a com isso a equipa. Jogar de inicio talvez não, mas muito importante para dar um click na equipa

Z disse...

"Lopetegui, em casa, pensa no 11 que deve colocar no jogo da Champions... Pensa nas assobiadelas monumentais que o exigente público do Dragão lhe endereçou (e a alguns jogadores) e decide que, melhor melhor é ir pelas escolhas do público...". Provavalmente foi mesmo isto que se passou. Estou certo de que Adrian Lopez, por exemplo, depois daquela despedida emotiva dum Dragão unido numa monumental assobiadela, estará super-hiper-mega-ultra motivado para ir a jogo de novo. Não deve caber em si de contente! Casemiro também, o rapaz que decidiu aplaudir a torcida do Dragão e que foi vergastado com nova assobiadela. Aliás, penso mesmo que qualquer momento apertado, de perda de confiança, de necessidade de motivação deve ser sublinhado com assobios e lenços brancos. Assobio é motivação! É "apertar com eles"! É exigir! A ver se esses gajos aprendem...

Parando com ironias, admito, não consigo entender, perceber, capacitar-me, inteirar-me da lógica do assobio num JOGO EM CASA!! Por vezes também perco estribeiras, fico nervoso, mas um bom vernáculo e dois murros na cadeira do lado resolvem tudo. Assobiar? Um Estádio inteiro a assobiar? Isso sim é a benfiquização e sportinguização dos adeptos.

Ser Porto é ter orgulho naquele símbolo, naquelas cores, naqueles jogadores (nem que joguemos com lontras marinhas e preguiças) e treinador (nem que seja um chimpanzé). Ser Porto e do Porto acima de qualquer ódio de estimação. O resto, é só Ridículo!

P.S.: "aprendizagem de Lopetegui"? A sério?? Um treinador com dois títulos mundiais de selecções jovens e currículo como jogador vai ter de aprender sobre futebol com os assobios dos adeptos? Retiremos os títulos: um treinador de uma modalidade desportiva vai aprender com os assobios dos adeptos?? Really?? I rest my case...

Azzulli disse...

O ponto não é a apologia do assobio.
É a correção de erros do Lopetegui. A aprendizagem.

O melhor onze inicial foi o do Sporting ou o do Bilbao?
Quando empatados devemos substituir para um jogador mais defensivo?
Quaresma foi ou não catalisador da vitória?

A imagem de que o Lopetegui teve uma lição do Tribunal, neste caso, é verdadeira.
O público quis o melhor onze, quer ambição, e gosta do ciganito (e como se manifesta positivamente com ele, galvaniza a equipa).

Mas como digo, o ponto é que houve erros, e interessa-nos que não se repitam.

Mas quem quiser o fantástico Adrien a jogar, mudanças inéditas de sistemas de jogo nos jogos importantes, tirar jogadores criativos e meter trincos quando não estamos a ganhar (e precisamos ganhar), e que não se utilize o RQ quando está à vista que ele até dá uma mãozinha… por favor levantem-se e aplaudam.