domingo, 8 de julho de 2007

Devemos recusar propostas loucas ?

“(…)
2. Ora, em função disto, e muito em particular no que diz respeito ao FC Porto, já o disse aqui mas volto a dizê-lo: é sempre muito estimulante para um adepto saber que o seu clube não só contrata bons jogadores (e a ele não lhe interessa grande coisa porquanto, doutra forma, um adepto benfiquista deitaria as mãos à cabeça ao tomar conhecimento da verba que o seu clube pagou por Cardozo)
como conserva os melhores craques do seu plantel.

3. Contudo, se fizermos as contas, e se for verdade aquilo que dizem que andam a oferecer à SAD portista pelos passes de Pepe, Lucho Gonzalez e Ricardo Quaresma (às últimas notícias, 25 milhões por Quaresma, 20 por Lucho e mais de 20 por Pepe - sei de quem viu uma proposta da Juventus por este último da ordem dos 22,5 milhões, mais um jogador que até podia ser Miccoli), confesso que, se estivesse no lugar de Pinto da Costa, hesitaria muito.
Isto é, teria de me “agarrar” fortemente para não os vender. E, apesar disso, acho que venderia.

4. Porque, vamos lá ver: se pelos três a SAD portista conseguir esses cerca de 65 milhões e mais uns pós, abatendo-os ao passivo, reduziria este - que depois da venda de Anderson andará pelos 115 milhões - para 50 !
O que quer dizer que, nesse fundamental “ campeonato ” dos passivos, deixaria o Sporting e o Benfica a léguas de distância - o Sporting, que poderá em breve descê-lo para 150 milhões e o Benfica que mantém o seu nos 315 milhões, embora com uns 60 ou 70 “não exigíveis ”, como pude ler no jornal do clube - e lhe daria “pé” para acentuar ainda mais, mesmo no curto mas sobretudo no médio prazo, a sua hegemonia no futebol português.

Para além de que - com jovens da formação e da prospecção e uns três ou quatro retoques - poderia recompor o seu plantel com um benefício em matéria de salários assinalável, (quanto não ganham por ano o Pepe, o Lucho e o Quaresma?), quer dizer, com uma diminuição significativa dos seus custos de exploração, o calcanhar de Aquiles das contas portistas.

5. Sobrando quem ? Helton, Bosingwa, Bruno Alves, Pedro Emanuel, Fucile, Paulo Assunção, Bolatti, Luís Aguiar, Raul Meireles, Kazmierczak, Jorginho, Lisandro, Postiga. Adriano, Edgar, etc., etc., etc. Bom, não daria para jogar em 4-3-3 ? Não.
Mas daria para jogar em 4-4-2, e não para o terceiro lugar: para o primeiro, como sempre. Com uma equipa sem grandes possibilidades na Europa ?
Talvez. Com uma SAD porém capaz de reforçar-se - repito - e de refazer rapidamente um grupo mais forte, com sede de vitórias, e vencedor. E chorando - é claro - uma lagrimazita pelos que partiram, mas contando os trocos, que seriam muitos.

Ora bem: creio que seria mesmo isso o que eu faria. Guardando, para além disso, Jesualdo por muito tempo.
(…)”
Extracto da crónica de ATT (Antóno Tavares-Teles) hoje n´OJogo.

Como me parece um tema muito pertinente, o que eu gostava agora de saber era qual a opinião que os portistas têm sobre a matéria. Concordam com o ATT ? Discordam ? Vendiam ? Todos ? Um, dois ? Quem ? Não vendiam ?

Ou seja, se estivessem no lugar do NGP o que fariam se em cima da mesa tivessem, entre outras, a seguintes propostas, no meu entender, loucas:


- 25 milhões por Quaresma, 25 milhões também por Pepe e 20 por Lucho.
(notem que, ao que sei, temos 100% do passe do Quaresma, 85% do passe do Pepe (15% Marítimo) e 50% do do Luxo (50% é de um fundo qualquer))

A minha opinião é fácil – NÃO SAI NINGUÉM !!! NINGUÉM MESMO !!! ÊXITOS DESPORTIVOS ACIMA DE TUDO !!! HÁ QUE MANTER A TOTALIDADE DA ESTRUTURA !!!

P.s. - Estou especialmente curioso para ver as opiniões dos contistas… e já agora dos "descomissionistas" que apregoam há anos que só compramos jogadores miseráveis...
.
P.s. 2 - Apesar da minha opinião, não posso deixar de salientar a frase lapidar e desconcertante que o prof. ontem disse e que cito de cor - "A nossa vida é perder craques" !!!
.
P.s. 3 – Entretanto, o FC Porto estendeu este ano a sua sábia “politica de gestão de jogadores emprestados” ao Leixões. Mais uma jogada de mestre (apesar de muitos portistas ainda não o terem percebido…) !!! A propósito, se quiserem leiam
esta crónica.

P.s. 4 – Infelizmente, os vermelhos ainda não venderam o grande craque Manuel Fernandes, o que me deixa seriamente preocupado
.

12 comentários:

Eterno Dragao disse...

Subscrevo quase totalmente a opinião de António Tavares Teles.

Devemos lembar-nos que um dos problemas fundamentais nas contas são os salários. Ora, ao que julgo saber, uma hipotética venda do Hélder Postiga pode ter um excelente efeito, a este nível.

Neste contexto, penso que seria possível manter Pepe no plantel. Quaresma e Lucho (sobretudo este último) são jogadores cuja perda não causará grande mossa no "futebol jogado".

Quanto à "sábia política de jogadores emprestados", penso que ela só poderá ser "sábia" quando nos referimos aos jogadores novos (em idade). Quanto a Pitbulls, Alans, Leandros dos Bomfins e afins, nem é preciso dizer nada, pois não?

Anónimo disse...

Não vender nenhum deles. Por duas ordens de razões. Financeiras, as vendas ja realizadas chegam para o equilibrio das contas, e dinheiro a mais leva sempre a maiores desperdicios. Desportivas, e estas tem de ser sempre a prioridade. Com este plantel e a preparação desde o inicio pelo mister Jesualdo, saí-mos na pole para a conquista do TRI, e podemos fazer um brilharete da CL.

Anónimo disse...

http://www.voteyourteam.com/default.aspx

Não se desleixem.
Vamos continuar a votar no nosso grande FC PORTO.

1 hora depois podem voltar a votar.

Anónimo disse...

http://www.voteyourteam.com/default.aspx

Não se desleixem.
Vamos continuar a votar no nosso grande FC PORTO.

1 hora depois podem voltar a votar.

Contista disse...

Boas!

Concordo totalmente com a posição do Eterno Dragão. Obviamente, não gostaria de ver nenhum dos três sair. Mas, a serem verdade os valores que diariamente vemos anunciados por aí, não vejo com maus olhos a sua saída. Concretamente, na minha opinião, a saída mais complicada seria Pepe, pois não vejo, pelo menos, para já, gente à altura para o substituir. Quanto aos outros, sendo indiscutível a sua preponderância na equipa, creio que com maior ou menor dificuldade, poderíamos arranjar "sucessores" à altura. No caso particular de Lucho, recordo que, mais uma vez, quase não descansou (e espero não estar a dizer nenhuma asneira), pela terceira época consecutiva!

Um outro aspecto, provavelmente de menor importância: não me apetece nada andar até 31 de Agosto a ouvir estas fotonovelas contantes de "sai, não sai...". Nem para a equipa, nem para os visados será positivo. Se é para sair, saiam de uma vez, (desde que acautelados os nossos interesses) para que possamos, o mais depressa possível, saber com quem realmente podemos contar.

Saudações.

Fanático disse...

Para mim é fácil emitir uma opnião que já dei neste estaço.Assim:

a) O indispensável: Pepe

b) O mais dispensável: Lucho, até pelo facto, como bem refere o Contista, de se ver obrigado, com a participação na Copa América, entrar, outra vez, na época sem uma pré-epoca decente.

C) RQ: volto sempre à mesma, sem ele não há magia no plantel, mais de 15 assistências para golo, mais 6/7 golos por época, mais não sei quantos cartões dos adversários, mais... Já sei que, por vezes, é indisciplinado e faz jogos miseráveis, mas mesmo assim é o maior descomplcador do plantel. Ou seja, se for possível, que não saia...

d) Os emprestados: estou com o Eterno.

O Situacionista disse...

Meus caros Eterno, Contista e Fanático,

Apenas sobre a “política de empréstimos”:

Ora bem .... Se bem vos entendo, em face de uma contratação fracassada e uma vez que não estou bem a ver o jogador aceitar ser dispensado sem o respectivo encaixe dos salários a que teria direito até final do contrato, penso que na vossa opinião deveríamos apontar-lhe uma arma à cabeça e fazê-lo assinar a documentação amigável para ele sair sem pedir nada !!! Perfeito !!! “I rest my case”….

Mas..... no caso de vos ter interpretado mal (e só nesse caso...), eu deixo esta pergunta – já que falhar contratações é um risco inevitável (o objectivo deve ser falhar o menos possível !!), não será melhor existir uma bem definida “política de empréstimos” ?

Para melhor explicar o que pretendo dizer dou-vos um exemplo contrário – os vermelhos contrataram há talvez 3 anos um jogador brasileiro. Esse jogador, logo no primeiro ano, fracassou.
Ora, os vermelhos (ou será mais apropriado dizer, os rosinhas ?), no final desse primeiro ano, tentaram vendê-lo a todo o custo. Não conseguiram, uma vez que o jogador se recusou a sair. Optaram, então, como forma de pressão, por .... colocá-lo a treinar à parte. O que ele fez durante .... dois anos !!! Vou repetir, DOIS ANOS !!! Até ser “vendido” há cerca de um mês.

Ou seja, durante esse tempo todo os rosinhas andaram a pagar a um jogador para ele ... não fazer a ponta de um corno.

Sabem quanto custava por ano ? Sabem ?

530 mil euros (cento e seis mil contos) !!!! Portanto, por dozes meses, cerca de 44 mil euros (quase 9.000 contos/mês).

O que por 3 anos dá uma pequena fortuna para ....aparecer e treinar à parte !!!

Sabem como se chamava esse jogador ?

Everson !!!! Já ouviram falar ?

Pois é....

Este é apenas um exemplo (querem outro ? vejam agora o Marco Ferreira, que ganha, julgo, cerca de 400 mil euros/ano).

Daí que eu pergunte, não será preferível ter “uma política de empréstimos” onde pelo menos se tente menorizar essas fortunas que se estão a perder ?

Ou vão-me dizer que o ideal é não falhar contratações ? Bom, nessa perspectiva eu diria duas coisas:
- uma, o clube que menos falha é claramente o nosso. De outra forma seria IMPOSSÍVEL ganhar o que ganhámos;
- duas, o ideal, ideal, era não haver guerras no Mundo.....

P.s. – Para não pensarem que eu inventei os números do Everson leiam esta notícia de fonte “insuspeita” em matéria rosinha,
( http://www.correiomanha.pt/noticia.asp?id=245343&idselect=213&idCanal=213&p=200 )

P.s. – Entretanto, o Cartelista Escolari deve estar a ver-se ao espelho com a borrada que fez com a contratação do seu delfim Couceiro !!!

Contista disse...

Boa tarde.

Relativamente à "política de empréstimos" sugerida pelo Situacionista, não se poderá dar o caso de o jogador, tendo contrato, pura e simplesmente se recusar a ser emprestado, seja para onde for? Nesse caso, teríamos de recorrer à pistola também, :-)) ou não?

Obviamento, estou a exagerar "para ter razão", mas parece-me que, quando falamos de jogadores que, COMPROVADAMENTE, não são, nem nunca serão úteis ao clube (alguns, nem sei como foram contratados, mas isso serão outras histórias...), será, na minha opinião, mais sensata a saída definitiva. Além disso, não tenho certezas de que o clube não suporte, pelo menos em parte, o ordenado dos "emprestados", pelo que voltamos ao mesmo. Se alguém me puder esclarecer...

Abraço!

O Situacionista disse...

Meu caro Contista,

Deixando a pistola de lado (:-))) ), eu não tenho dúvidas que o Clube continua a pagar grande parte do salário, atrevo-me mesmo a dizer que em muitos casos o faça na totalidade, do atleta que empresta.

Agora não tenho dúvidas também que mesmo assim é menos prejudicial e ao clube do que, pura e simplesmente, "encostá-lo" !!

Até porque, com uma boa "política de empréstimos", podemos conseguir apoios ("lobby" - o qual é perfeitamente legítimo e, especialmente, inteligente) para algumas decisões que nos interessem.

O que nos dia que correm, em que temos que lutar "contra tudo e contra todos" pode ter uma importância decisiva !!

O Soldado Azul disse...

Bom,
Eu tive a oportunidade de ler este artigo do TT no Jogo:

Trata-se do "velho" dilema dos resultados: qual a prioridade? Os financeiros ou os desportivos?
O TT perante os €€€€ das eventuais vendas não tem dúvidas! Efectivamente... é tentador!!! Mas, na minha óptica, deve haver um mínimo de equilíbrio ainda que o lado dos desportivos deva ser um pouco mais pesado... É fundamental verificar-se um desequilíbrio (mas minimo...) a favor dos desportivos para que continuemos na senda dos títulos! Só assim é possivel amortizar o passivo e continuarmos a ganhar!!!
Por mim, que saia o Quaresma e ponto final!!!
Saudações

Luis Miguel disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Eterno Dragao disse...

Creio que o FC Porto suporta integralmente os salários de alguns jogadores que se revelaram contratações falhadas.

Estou de acordo com o Situacionista quando diz que os empréstimos permitem ter alguns apoios para questões importantes. Contudo, tal pode ser conseguido exclusivamente com os jovens.

Será que não seria melhor falar com alguns jogadores e dizer-lhes: se não aceitares a rescisão, ficas a treinar de lado "ao jogo sem bola" (os treinos começam às 7 da manhã) e a ver videos da Taça das Cidades com Feiras durante quatro anos; se rescindires, pagamos-te dois anos de salário e ficas dono do teu passe... Talvez seja um "meio-termo" que salvaguarda melhor a posição do clube. Não é isso que se faz nas outras empresas? É a "racionalidade económica" a funcionar!