sexta-feira, 9 de setembro de 2011

Assim, não há trave nem barra que resistam ...



Como ainda estamos no início da época, é melhor poupar nas palavras e nos elogios. Mas uma coisa é certa, houve momentos absolutamente ... divinais ! (ou será melhor dizer, razoavelmente estusiasmante ?) !

.

(ah, e Defour foi uma gra..., perdão, positiva contratação!)

4 comentários:

Dragus Invictus disse...

Boa noite,

Hoje fizemos um excelente jogo, sufocamos o Setúbal, e houve magia no sobre o relvado do Dragão.

O nosso meio campo esteve muito bem, sobretudo após a entrada de Moutinho, a criar muitas situações de golo.

O tridente Moutinho/Defour/Belluschi vai dar muito que falar. Grande dinâmica deste trio. Defour faz carrinhos!!!! e tem uma excelente capacidade de passe! Este jovem belga em pouco tempo poderá agarrar um lugar mais habitual na equipa.

O Setúbal só não saiu goleado do Dragão devido à exibição de Diego e à nossa falta de sorte.

Efectuamos perto de 30 remates em cerca de 60 ataques. Foi um caudal ofensivo tremendo.

Destaques individuais para Defour, Belluschi e Moutinho. Um dos três pode ser o melhor em campo.
Hulk em 20 minutos fez duas assistências para golo ... fantástico. James ... bem este menino se tiver cabecinha vai ser a revelação da época.

O Setúbal só por uma ocasião incomodou Helton.
Este Setúbal tem equipa para mais e melhor. O seu treinador estacionou o autocarro, traçando uma estratégia ultra defensiva. Na minha opinião vai ser a próxima chicotada psicológica da época.

Nota negativa para o árbitro. Uma galinha com capacidade de assoprar fazia melhor trabalho.

Realce para o fantástico apoio do público.

Abraço e bom fim de semana

Paulo

pronunciadodragao.blogspot.com

dragao vila pouca disse...

Depois de um período que durou 15 a 20 minutos, em que a equipa pareceu desorganizada, lenta, previsível e sem encontrar as melhores soluções para desmontar a teia sadina, o F.C.Porto arrancou para uns 25 minutos finais da 1ª parte de grande domínio, excelente dinâmica, encostou o Vitória lá atrás e só não chegou ao intervalo a vencer por manifesta falta de sorte. Se a diferença mínima, seria escassa, o nulo era uma grande injustiça.

Se a 1ª parte foi muito boa, se excluirmos os referidos minutos iniciais, a 2ª foi fantástica. Tirando Souza - não estava a jogar mal...- e fazendo entrar J.Moutinho, o técnico portista disse ao que ia. O pequeno grande jogador, que ainda não tinha aparecido ao nível da temporada anterior, entrou muito bem, começou a "pegar" mais à frente, arrastou com ele Defour, Belluschi e a equipa, para uma exibição de grande qualidade, com períodos de grande fulgor, empolgamento e galvanização, que entusiasmaram os mais de 36 mil espectadores que se deslocaram ao Dragão.

Como corolário e naturalmente, o golo apareceu e por quem tinha feito por isso, o inspirado nº 8 do F.C.Porto. A ganhar a equipa não baixou, nem o ritmo, nem a qualidade e numa jogada belíssima que meteu toque de calcanhar de Hulk, James fez o 2-0 e sentenciou o jogo. A perder por dois golos de diferença e sem nada a perder, o Setúbal reagiu, incomodou por duas vezes Helton, mas o capitão portista evitou a alteração do resultado com duas belas defesas. O terceiro, por F.Belluschi, deu outro colorido a um marcador, que, mesmo assim, ficou aquém do que a equipa campeã nacional merecia.
Resumindo: uma bela noite de futebol e uma exibição que convenceu o mais exigente dos adeptos. Estamos no caminho certo, temos qualidade e quantidade para mais uma época à altura dos pergaminhos do melhor clube português.

Notas finais:
Moutinho foi grande, mas não foi o único. Houve vários, mas apenas vou abrir outra excepção e referir outro que me encheu as medidas: S.Defour.
Quem joga pela primeira vez a titular e perante a exigente plateia do mais belo estádio do mundo, mostra tanto à vontade e qualidade, como se estivesse no F.C.Porto há muitos anos, só pode ser um grande jogador e uma grande aquisição.

Pela negativa, tenho pena, mas só pode ser Maicon. Mas também esperava mais de Kléber...

Abraço

Eterno Dragao disse...

Foi dia de sair do estádio com "aquele sorriso" que se prolonga, ainda hoje de manhã!

Dragaopentacampeao disse...

Jogo com algumas dificuldades iniciais, sobretudo na conquista de espaços da manobra ofensiva, de algum modo superadas depois dos vinte minutos iniciais.

Depois foi uma exibição em crescendo, com belos nacos de futebol fluído, dinâmico, inteligente e por vezes belo.

O segundo golo foi, para mim, o corolário do melhor, explanado em campo. Lance corrido, simples, muito bonito e eficaz, ao melhor estilo do famoso Tiki-Taka catalão.

O 3-0 final acaba por não reflectir a gritante diferença de nível das equipas nem faz jus à qualidade do futebol ofensivo portista bem como às enumeras oportunidades desperdiçadas. Só a barra desfez três dessas oportunidades!

Um abraço