segunda-feira, 26 de setembro de 2011

Chicotada psicológica




De há 10 dias a esta parte tenho lido, visto e ouvido a opinião de muitos portistas.

Segundo alguns, aos quais me dirijo, o ponto da situação é este:

Estamos em crise. Grave.

Há que agir. Rápido.

O problema está identificado - o treinador tem de ser despachado.

Antes que seja tarde. Demais.

Ainda não foi despachado ?

.

Perante isto, penso cá para mim: quem diria há 30 anos que o FC Porto poderia alguma vez chegar a um patamar destes ? Em que poderia ter adeptos com este inacreditável grau de exigência ?

Antigamente, quando um título era ganho a uma média talvez de 15 (!!!) em 15 anos, alguém ousaria sequer imaginar que um dia, 30 anos depois, o treinador estaria a ser colocado em causa por:

.

- liderar o campeonato, sem derrotas,

- liderar a champions,

- ter ganho a supertaça,

- depois de ter chegado ao comando da equipa técnica de uma forma totalmente inesperada e após uma temporada que JAMAIS os portistas esquecerão,

.

Parece incrível, não parece ?

Embora seja um sinal extraordinário.

De regional, somos, actualmente, um clube planetário.

.

Mas atenção, meus caros, convém não perder a noção da realidade.

E, portanto, há que permitir que os nossos profissionais façam o seu trabalho.

Eu não digo que VP não esteja a cometer erros. Está. Por exemplo, contra os vermelhos, não fez qualquer sentido a recolocação de Hulk nas alas. Explico - então o Hulk, na segunda parte, está de rastos (e já não consegue acompanhar defensivamente os adversários), passa para o centro do ataque com a saída de Kleber e .... depois, para entrar o Walter, volta para as alas ? Não entendi.

.

Mas o facto de não entender, não quer dizer que ... eu não veja que a equipa fez uma excelente primeira parte contra os vermelhos. Que estamos a marcar muitos golos de bola parada. Que, como é evidente, não surgem do nada. Que ganhamos na champions depois de falharmos um penalti e termos sofrido um golo. Que ...

.

Penso, acima de tudo, que a VP falta encontrar (os) equilíbrios. Na acção e no discurso. Para serenar. E serenar a equipa.

..

Em suma, esqueçamos a chicotada psicológica do treinador e pensemos na nossa própria (chicotada psicológica) para, com os pés bem assentes na terra, ajudarmos a construir mais uma grande época. Temos tudo para isso.

.

SOMOS PORTO

8 comentários:

Justiceiro Azul disse...

O VP ainda está a aprender. Se olharmos para os treinadores que chegaram ao Porto, ainda novatos, e tiveram sucesso estrondoso: Artur Jorge - foi jogador de alto nível no Porto, Benfica e selecção. Antes de chegar ao Porto já tinha treinado 2 ou 3 equipas na 1ª Divisão.
AVB - teria menos experiência como treinador principal, mas tinha uma tarimba que o VP ainda não tem, ao lado do Mourinho, durante anos e em campeonatos exigentíssimos.

Vemos que ainda lhe falta tarimba, mas até agora já mostrou coisas muito boas, a equipa já fez excelentes jogos, ou pelo menos partes de jogos. Precisa de aprender. Está na melhor escola, e tem o melhor mentor/professor. Pode lá chegar, já deu sinais disso.

O Situacionista disse...

Subscrevo, Justiceiro.

E acredito que, quando VP encontrar alguns equilíbrios, poderá até colocar a nossa equipa a jogar um futebol ainda mais interessante do que o ano passado.

Fanático disse...

Os ingredientes estão lá, falta saber usar, já, e sem correr riscos quando temos o plantel mais equilibrado dos últimos anos. O que nos falta? Um Falcao! Tenhamos certeza disso, mas como não temos,apenas estamos em primeiro lugar empatados com os outros!

meirelesportuense disse...

Para quem como eu vi e revi o jogo de Sexta, o Porto esteve melhor que o Benfica em 80 por cento do jogo, mas a verdade é que alguns jogadores estiveram desconcentrados e um exagerou na sua atitude facilitista.
Falo de Fucile e nem sabia que tinha sido ele a perder aquela flagrante oportunidade na cara do GR -na altura pareceu-me o Kléber- mas falo essencialmente no seu papel defensivo...Deu muito espaço, demasiado espaço a quem lhe tocou no caminho e foram vários a percorrerem aqueles corredores e em muitos lances, deixou que o adversário se lhe antecipasse quase sempre...Tenho saudades de um velho João Pinto, lutador e incansável nas antecipações.
O Fucile parece que entra em velocidade cruzeiro e começa a brincar com os adversários.
Nos seus duelos particulares, em vez de encarar as coisas de forma 100 por cento profissional, deixa que elas resvalem para questiúnculas de tipo pessoal ou pequenas brigas sem nenhum sentido prático.Depois paralisa e é batido em antecipação...Para mim enquanto não se modificar, substituía-o pelo Sapunaru que é muito mais regular que ele neste aspecto.

Fanático disse...

O nosso JPInto esteve brutal ontem no Porto Canal, quer na análise da arbitragem (não falhou uma!), quer no seu portismo.

Se o tivessemos agora, ganhávmos por 3-0!

Aquiles Pinto disse...

E recordo-me bem como era um mal-amado, muitas vezes alvo de críticas injustas. Grande capitão João Pinto!

O Situacionista disse...

Também vi o Somos Porto.

O João terminou com esta (cito de cor): "Ser Portista é não ter medo dos momentos mais difíceis."

Brutal !

Eterno Dragao disse...

Também vi os comentários do NÚMERO 2 DO FUTEBOL CLUBE DO PORTO. Justíssimo e imparcial. Mais nada!