segunda-feira, 5 de junho de 2006

O "JB" e a bosta do Cartelista Escolari


Bom, para se perceber na plenitude a questão é necessário fazer um apanhado, inevitavelmente (bastante) extenso.
Mas o assunto assim o obriga.
Por isso, vamos por partes:

Na passada sexta-feira, certamente depois de matar bem a sede e de gastar algum gelo a acompanhar, dizia o “JB”:

Madail ataca críticos do estágio em Évora
O presidente da Federação Portuguesa de Futebol (FPF), Gilberto Madail, atacou ontem os críticos da selecção, na inauguração de um painel de apoio à equipa das quinas, em Lisboa. O responsável máximo do organismo que tutela o futebol nacional afirmou que após o Mundial estará presente "para assumir responsabilidades", mas que
"há realizadores, apresentadores e empresários falhados que têm criticado a selecção sistematicamente, que no final também têm de as assumir", considerou, aludindo ao trio de comentadores de um programa desportivo da RTP.
Irritado, Gilberto Madail prosseguiu. "O que me custa é todos os dias ver a selecção ser posta em causa porque foi fazer o estágio em Évora. Isto é um insulto aos alentejanos, aos eborenses. Nem quero qualificar o que têm dito do seleccionador, porque podia entrar nos regimes da FIFA, aqueles de xenofobia e de racismo, que acho absolutamente inconcebíveis", disparou o presidente da FPF, para reassumir obrigações: "No fim podem bater-me onde quiserem. Mas os outros que estão a bater [na selecção] que também saibam assumir, porque vamos apontá-los a dedo."
Madail considerou que a selecção foi a Évora "prestar um serviço ao desporto português" e achou infundadas as críticas à escolha de um local com temperaturas elevadas. "Fizemos a preparação para o Euro'2000 em Chaves, com 37 graus. Só queria ter o resultado desse estágio, pois fomos terceiros", recordou, para concluir: "É altura dos portugueses dizerem a algumas pessoas: 'basta!'"
(realçado e itálico meu)

No dia seguinte, foi a vez do Cartelista Escolari (CE) abrir a boca e espalhar um cheiro nauseabundo:
“(...)
Mas Felipão tem motivos de sobra para ser otimista. A seleção portuguesa está invicta há 13 jogos, um recorde do time, e, em 42 partidas, conquistou 26 vitórias. Os portugueses o adoram.
- Quando saio na rua é uma loucura, eles vêm falar comigo, eles aplaudem. Está quase como no Brasil - relatou.
Claro, há quem o critique.
- Uns quatro ou cinco intelectuais - rosnou. - Aqui, quando eu falo em bandeira, em pátria, em nacionalismo, é porque sou pregador.
Na verdade, é preconceito contra brasileiro mesmo. Eles têm bronca, raiva e inveja dos brasileiros.
Felipão tem de cabeça a curta lista de desafetos:
- Um diz que é cineasta. O outro, o pai dele foi um grande escritor. O pai, né, porque ele é uma bosta. Um terceiro ganhou uma herança do tio e ficou rico. E tem uma mulher famosa aqui que diz que é a Marília Gabriela de Portugal. Só. Não entendem nada. Me criticaram porque coloquei a seleção a treinar num clima de 27ºC. Nós treinamos às cinco e meia da tarde, aí está uns 23. Quando formos jogar na Alemanha, com 15 graus, os jogadores vão estar voando.
Felipão sabe que o que importa é o torcedor.
- E o torcedor, sim, esse gosta de mim. Noventa e nove vírgula nove por cento me aprovam, aqui em Portugal.
Pensei que Felipão ia reclamar da duração da ligação, ele que é um notório pão-duro. Nada disso. Estava de espírito leve. Até comentou a vitória do Grêmio sobre o Palmeiras.
(...)”
(os realçados e itálicos são meus)

Ora bem,
Temos então, por um lado, uma cambada de falhados e, por outro lado, intelectuais de meia tigela (aliás, um deles é uma autêntica ....bosta !!!!!).
Mas, antes de prosseguir, para aqueles que possam não identificar os, presumíveis, visados, passo a nomeá-los:
“JB” - APVasconcelos, JGabriel e (o nosso) Rui Moreira (Trio de Ataque).
“CE” – APVasconcelos, (o nosso) MST, Rui Santos e, pasme-se, até a Judite de Sousa (já ouvi dizer que era nossa).

O mais atingido (pelo mau cheiro) foi MST.
Do que sei as razões serão, para além do famoso artigo que aqui publiquei, creio que há duas semanas, com a tese (
A equipa dos amigos de Scolari), ele, a semana passada, ter dito (atenção especial ao último parágrafo) isto:
“(....)
3 - Enquanto os sub-21 se despediam do Europeu em Guimarães, a Selecção principal começava a mostrar o resultado da sua preparação em Évora. Não deixa de causar alguma perplexidade constatar que, enquanto os nossos adversários de grupo na Alemanha escolheram jogos de preparação de grau elevado de dificuldade (Irão contra a Croácia, Angola contra a Argentina e México contra a França), Portugal optou por dois jogos de preparação contra duas selecções inexistentes no ranking das 100 mais: Cabo Verde e Luxemburgo. Mas, depois de ter visto o tiro de partida contra a selecção, a bem dizer inventada, de Cabo Verde, a escolha de Scolari revela-se bem prudente. Pergunto-me se, com o estado de preparação revelado (excepção feita a Pauleta), os nossos mundialistas teriam feito melhor que os sub-21 contra os sub-21 da França e da Sérvia... Assim, jogando contra selecções que garantem pouco dispêndio de energias e vitória garantida, pelo menos o moral das tropas mantém- se em alta e sempre se acrescentam mais duas vitórias ao currículo de Luiz Felipe Scolari. Depois, na Alemanha, se verá se a estratégia também foi tão boa como a escolha.
4 - Vendo o jogo de Évora, outra coisa que me fez alguma espécie foi a própria decisão de realizar o jogo e o estágio da Selecção em Évora. Não tenho objecção alguma, antes pelo contrário, acho louvável que, sempre que possível, se leve a Selecção a estagiar e a jogar no interior, em especial no Alentejo, onde é tão raro ver futebol de primeira. Mas estamos nos finais de Maio, princípios de Junho, onde em Évora são frequentes temperaturas como a de sábado, de 35 graus à sombra. Isso não terá consequências negativas de ordem física na preparação da equipa? Os franceses, por exemplo, começaram por estagiar no frio dos Alpes, em altitude, enquanto nós escolhemos o inferno da planície alentejana — teremos sido nós que acertámos, apesar de se saber que na Alemanha não iremos encontrar temperaturas daquelas? Não sei, só sei que, no final do jogo contra Cabo Verde, os jogadores se confessaram muito cansados e o próprio treinador adjunto dormia, no banco ao lado de Scolari, vencido pelo calor (ou seria pela falta de calor do jogo?).
Mas a escolha de Évora para local de estágio também me levanta outra questão, esta do ponto de vista do contribuinte: com tantos locais disponíveis— Óbidos, Vale do Lobo (onde esteve a selecção inglesa), qualquer local do Algarve próximo do inútil Estádio do Algarve, Coimbra e numerosos outros locais prontos e disponíveis pelo País fora, incluindo os centros de treino de Sporting, FC Porto e Benfica — havia necessidade de ir para um sítio onde foi preciso construir um miniestádio de raiz ? Sim, eu sei que aparentemente o novo Estádio de Évora foi financiado por particulares. Mas o que veio a público é que não se tratou de um gesto de beneméritos, antes de uma troca de oportunidades negociais: eles construíram o estádio e em troca vão poder urbanizar dentro da zona histórica de Évora, à revelia do respectivo PDM. Espero bem que isso não se confirme, porque seria um péssimo princípio que a presença da Selecção de Portugal fosse causa e pretexto de decisões desse tipo contra o interesse público.”
(realçado meu)

Dito isto,

Finalmente, aos dois personagens, mormente ao segundo, caíram as
máscaras !!!!
Por isso, aqueles que se aprestavam para pintar as ruas e aderir à religião IDUPALIR, pensem 10 vezes...

Uma coisa é certa, depois destas afirmações, nada mais será, felizmente, como dantes !
Há males que vêm por bem !
(Só de me lembrar que o CQueirós ainda hoje é maltratado por ter utilizado a simples palavra “porcaria”....)

De resto,
Quanto ao “JB”, é o principal responsável, mas é um caso perdido !!!
Portanto, nem mais uma palavra.

Quanto ao Cartelista, nada que me surpreenda minimamente.
A não ser a falta de “inteligência política” demonstrada. Ele que se continuasse, como tem feito desde sempre, a atacar apenas os portistas aumentaria ainda mais o seu prestigio nos anti (grande maioria dos portugueses) !!! Inexplicavelmente, misturou vermelhos, ver/des/melhos e mulheres. Até os portistas bondosos agora ficaram com pouca margem de manobra.
Os erros políticos de algibeira pagam-se caro !!!
Mesmo assim, a mim parece-me que se trata de uma situação, mais do que de, erro político, indigência mental ainda por cima nauseabunda, má formação, arrogância, petulância, desaforo, grosseria, mais do que tudo isso, dizia, parece-me uma situação de.... pura má criação.
Mas ele certamente não tem culpa.
E por isso eu desculpava-o.
Por uma razão muito simples: de facto, o que o berço não dá....

Por último e mais importante– a minha inteira solidariedade aos visados.
Sobretudo aos nossos e à Judite, mais não seja, porque de uma senhora se trata.
Só espero que todos eles saibam responder, se assim decidirem fazer, com inteligência, firmeza, e, especialmente, ELEVAÇÃO E EDUCAÇÃO !!!
Mostrem a quem não tem...

P.s – Curiosidade – já repararam que o Cartelista nem sequer refere o nome do seu maior crítico ? O homem não é despiciendo de inteligência de todo. Ele tem perfeita noção que se o fizesse levava que contar....

P.s. 2 – Ah, entretanto, pelo menos, um dos visados, Rui Santos, já reagiu,
http://www.correiomanha.pt/noticia.asp?id=203915&idselect=93&idCanal=93&p=200

Ps. 3 – Valha-nos os excepcionais emigrantes e os (mesmo sem voarem) grandes jogadores que temos, que não merecem que deles fale mais neste post para não os contagiar com o mau cheiro do treinador...

1 comentário:

Anónimo disse...

Really amazing! Useful information. All the best.
»