terça-feira, 1 de julho de 2008

Resumo perfeito do Apito Dourado:

.
Mas o TIC, para onde regressou o processo, concluiu que o testemunho de Carolina Salgado contém declarações falsas. Através do cruzamento das escutas e dos depoimentos recolhidos, ficou a saber-se que Carolina Salgado não pode ter, ao contrário do que afirmou, presenciado o telefonema entre Pinto da Costa e António Araújo, que ocorreu por volta das 13h00. Tudo porque, segundo revelou ontem o TIC, Carolina ligou para Pinto da Costa às 11h30 (referiu que ia ter com a mãe) e às 15h02 (afirmou que ainda estava no cabeleireiro). Pelo meio, Pinto da Costa recebeu uma chamada às 12h05 para ir almoçar com dois amigos a um conhecido restaurante do Porto. Sendo assim, Pinto da Costa e Carolina só se encontraram ao final da tarde, já no Estádio das Antas. Ou seja, nunca na hora do tal telefonema.

“Entretanto, o Ministério Público (MP) vai recorrer da decisão de ontem para o Tribunal da Relação do Porto, isto porque o procurador-geral da República terá emitido uma directiva a determinar que todos os processos reabertos por Maria José Morgado, e arquivados na instrução ou em julgamento, devem ser alvo de recurso. "O MP não se conforma com o despacho e vai interpor recurso", refere a nota da PGR. (...)
.”
(
confiram aqui)


Relembro, a propósito, que a CD da Liga, sobre esta testemunha, a qual nunca chegou a ouvir, considerou que:
“(…) apesar de a sua conduta poder ser norteada por sentimentos vingativos, tal não significa que "a testemunha não goza de credibilidade e o seu depoimento deve ser totalmente desconsiderado". Fazê-lo, significaria admitir que a testemunha teria praticado "crimes atrás de crimes de prestação de falsas declarações/testemunhos perante os tribunais".
.
Ora, é precisamente isso que conclui o TIC ao perceber, através das escutas dos telefonemas entre Pinto da Costa e Carolina Salgado, que a testemunha não podia ter escutado a conversa entre aquele e António Araújo.”
(
confiram aqui)
.
.
.
..
SÓ ESPERO QUE O CJ, AO CONTRÁRIO DA CD, NÃO ESTEJA A MANDO DE INTERESSES CLUBISTICOS BEM IDENTIFICADOS E JULGUE, COMO O SEU PRÓPRIO NOME INDICA, COM JUSTIÇA !
.
.
P.s. - Notem bem, no meio disto tudo, para mim, o segundo parágrafo que acima transcrevi é a VERGONHA DAS VERGONHAS !

4 comentários:

O Situacionista disse...

Vale a pena ler:


“A fruta que não era fruta

O Tribunal de Instrução Criminal do Porto decidiu não levar a julgamento o presidente do F. C. Porto, no processo do "Apito Dourado" relativo a um jogo que os dragões disputaram, na época 2003/04, com o Estrela da Amadora.

O que estava em causa? Suspeitas de corrupção denunciadas por Carolina Salgado, ex-companheira de Pinto da Costa.

Enrolado como está o processo, este seria apenas mais um episódio da saga que entretém - e há-de continuar a entreter - os portugueses que tendem a ver em Pinto da Costa a encarnação do mal. A verdade é que este foi um dos casos em que a equipa de Maria José Morgado - a nova salvadora do país - mais investiu. Porquê? Por conter em si elementos suficientes para entreter o povo.

Não seria delicioso apanhar o presidente do F. C. do Porto num processo (que já fora arquivado por falta de provas) em que o Ministério Público sustentava que teriam sido fornecidas prostitutas à equipa de arbitragem e que lhe teria sido propiciado um jantar como contrapartida por violação das regras de jogo? Seria delicioso. Porque estava lá tudo: o submundo da prostituição ligado à troca de favores; fartos jantares para, no meio de gozosas risadas, comemorar as tropelias; árbitros ansiosos por passar uma noite de arromba com companhia... Enfim, a prova provada de como Pinto da Costa e o F. C. Porto driblavam as regras para alcançar o sucesso.

O que entendeu o juiz que ontem decidiu arquivar o processo? Isto: "só ficcionando ou conjecturando" seria possível encontrar "nexo de causalidade" entre os factos. Isto é: entre o resultado obtido pelo F. C. Porto na partida com o Estrela e a "fruta" não há relação possível.

Mais. Mesmo do ponto de vista técnico, o juiz entendeu que não houve violação de regras no jogo FC Porto-Estrela, de acordo com as perícias, designadamente em lances capitais. E mais ainda: o magistrado afirmou que as escutas realizadas no âmbito do "Apito Dourado" não poderiam ser consideradas para este processo específico.

As críticas à equipa liderada por Maria José Morgado são severas. Se um juiz entende que não há qualquer "nexo de causalidade" entre os factos, isso só pode significar uma de duas coisas - ou a investigação foi mal feita, ao ponto de não fornecer matéria de facto para a acusação; ou a acusação estava previamente determinada, independentemente dos factos que viessem a apurar-se.

Seja como for, quando um magistrado dá uma pancada deste tamanho num processo tão mediático, a última coisa que podemos fazer é ficar descansados com a Justiça que temos.”

Paulo Ferreira no JN
( http://jn.sapo.pt/Opiniao/default.aspx?opiniao=Paulo%20Ferreira )

Justiceiro Azul disse...

Também vale a pena ler:

"Os pézinhos de barro da intentona começam a cair um por um. Recomendo a quem for mais distraído e ainda andar frustrado por não conseguirem linchar o FC do Porto e o seu presidente a leitura do despacho de arquivamento do Tribunal de Instrução Criminal do Porto.

O Despacho do juiz está muito bem conseguido e põe os dedos nas feridas. Basicamente tem as seguintes ideias chave.

1. As escutas que usaram para acusar o FC do Porto e o seu presidente são ilegais de forma gritante. Mas ainda que o não fossem o Meritíssimo Juíz faz um pergunta muito simples. Em dois anos de investigações, com escutas a todos os telemóveis e telefones do presidente Pinto da Costa, de Carolina Salgado e de todos os que os rodeavam à data dos factos isto foi o melhor que conseguiram? Duas escutas se aproveitam? Dois factos. Dois jogos ridículos onde não havia qualquer interesse em jogo.

2. Mas diz-se ainda mais. Em nenhuma parte das escutas se demonstra que as prostitutas são solicitadas, quanto mais disponibilizadas pelas entidade FC do Porto. São os árbitros que as pedem a um outro elemento ligado à arbitragem, que pede ao Senhor António Araújo. Este senhor não tem qualquer ligação ao FC Porto ou ao seu presidente.

Mas há mais. Carolina Salgado vai pagar pelo que tentou fazer. E quando se vir apertada vai ter que denunciar os verdadeiros rosto por detrás desta perseguição. O Sr. Luís Filipe Vieira e a D. Leonor Pinhão esqueceram-se de um pormenor. Estão na mão de Carolina Salgado. E no dia em que lhe fecharem a torneia, entenda-se pagar motoristas, carros, habitação e até o aborto que a destrambelhada acaba de fazer o que é que impede Carolina Salgado de se vingar deles da mesma forma que tentou fazer a Pinto da Costa?

Finalmente uma palavra para Platini. A sua actuação e as suas declarações são vergonhosas e ignorantes. Quando a justiça portuguesa ilibar finalmente o FC do Porto nesta história toda e a justiça desportiva não tiver outro remédio senão seguir-lhe o exemplo o presidente Platini, se tivesse vergonha, não teria outro caminho senão demitir-se. Falou de cor, influenciado e numa atitude parcial. Tudo agravado por estar calado que nem um rato relativamente à sua querida Juventus, que de acordo com os regulamentos não poderia participar este ano na Liga dos Campeões.

Platini se tiver vergonha demita-se. Luís Filipe Vieira se quiser os bufos caladinhos é melhor continuar a dar-lhes dinheiro e arranjar-lhes um bom advogado. O Pablo Aimar pode esperar por tempos mais calmos... "

Publicado por Remexido no blog (in)direita

dragao vila pouca disse...

Este silêncio de alguns - Freteiro Delgado e afins- é preocupante, se bem se lembram eles fartaram-se de pressionar o C.Justiça e o seu Presidente dizendo que - era vereador em Gondomar- não tinha condições de julgar, etc., e agora não deizem nada? Isto está a cheirar mal.
Seria o cúmulo que depois da decisão do Tic, o C.Justiça tivesse outra decisão, que não o provimento do recurso do Presidente do F.C.Porto e consequentemente do clube.
Um abraço

O situacionista disse...

De facto a MIzé na sanha persecutória meteu os pés pelas mãos e perdeu credibilidade, embora quando ela foi nomeada se previu logo que isto ia acontecer.
Quanto ao C.Justiça estou com algumas preocupações porque não ouço aqueles que quando o anterior Presidente do C.J.saiu e tentaram de todas as formas, por em causa este C.J. e este Presidente. Será que eles sabem que por exemplo, o C.Justiça castiga o Caso B.Mar-Porto e arquiva o Porto - Estrela?
Para mim só pode haver justiça com o Presidente do F.C.Porto e o clube a serem ilibados.
Mesmo que o B.Mar-Porto tenha havido a pronuncia ela foi baseada num testemunho que este Juíz arrasou completamente e isso os Conselheiros têm de ter em conta.
Um abraço