sábado, 13 de janeiro de 2007

A MÁFIA ANTI-PORTISTA !!!!!!

Chegámos a um ponto em que a ficção é ESCANDALOSAMENTE exibida .... e a VERDADE propositadamente ESCONDIDA !!

O jornal “Sol” (surpreendentemente) é dos poucos que não faz parte dessa máfia !!!
(hoje, logo pela manhã, recebi uma sms que me alertava para ler este semanário !!)

De facto, hoje o Sol traz na capa esta notícia:
A ficção vem relatada no primeiro parágrafo da notícia (atenção, a ficção não é da autoria do jornal...).
Diz assim: "Carolina Salgado, ex-companheira de Pinto da Costa, apontou o líder da claque dos Super Dragões, Fernando Madureira, como o autor da agressão ao ex-vereador de Gondomar Ricardo Bexiga. Contactado pelo Sol, Madureira considerou a acusãção «surreal»."
.
Mas alguém acredita nesta estória da Sr.a D. Carolina ???? É o desespero total da máfia...
.
Mas chamo a vossa particular atenção para o 2º parágrafo, que reza assim:
“Entretanto, o primeiro encontro entre Carolina e a PJ teve como intermediário o presidente do Benfica, Luís Filipe Vieira, estando também presentes a redactora do livro Eu, Carolina, Maria Fernanda Freitas, e a jornalista Leonor Pinhão”.
.
Ora cá está a VERDADE a vir ao de cima !!!
.
Entretanto na pág. 4 do jornal vem o desenvolvimento (em comentário publico a notícia na integra), do qual deixo aqui alguns extractos:
.
QUANTO À FICÇÃO:
"(...)
Mas, segundo um elemento da DCICCEF, se Carolina repetiu o que disse à PJ, «não acrescentará nada à investigação do processo Apito Dourado».
(...)
"Contactado pelo SOL, o líder da claque garante:
«Ou se trata de uma brincadeira ou vai levar com mais um processo em cima. Isso é completamente surreal, só ouvi falar do Ricardo Bexiga depois de o livro ter saído».

No seu livro, Carolina conta que teria combinado com Fernando Madureira invadir o tribunal de Gondomar, caso Pinto da Costa fosse detido, e raptá-lo para parte incerta. Ao SOL, Madureira contrapôs: «os dragões estavam lá, como é óbvio, mas isto não é a Argentina. Nunca tal coisa foi pensada e por essas afirmações já lhe pus um processo por difamação»."
.
QUANTO À VERDADE:
"(...)
Presidente do Benfica foi ´intermediário´

Segundo o SOL apurou, o primeiro encontro entre os agentes da DCICCEF e Carolina ocorreu num hotel na Praça de Espanha, em Lisboa, e teve como 'intermediário' o presidente do Benfica, Luís Filipe Vieira.

Com Carolina estava a redactora do livro, Maria Fernanda Freitas, e a jornalista Leonor Pinhão.

Duas semanas antes, o presidente do Benfica entregara na DCICCEF um dossiê com documentação que, segundo afirmou, iria provocar um abanão no mundo do futebol, contendo provas de corrupção.

Mas, segundo a mesma fonte judicial, Luís Filipe Vieira 'comprou gato por lebre': «os documentos não passavam de fotocópias de peças processuais do processo Apito Dourado, que já foram arquivadas»."
.
É por isso que JÁ NINGUÉM duvida que é a MÁFIA VERMELHA (clube e comunicação social) que está a patrocinar a Sr.a D. Carolina.
.
Repito duas notícias que já aqui fiz referência:
1) a Pinhão anda a beber copos com a Sr.a D. Carolina.
2) o Expresso noticiava a semana passada (e para o anti-portista Expresso vir dizer isto é porque já não o pode negar):
.
“Luís Filipe Vieira avisou PJ sobre livro de Carolina
O líder do Benfica deu o alerta em Outubro
Os dois juram que nunca se falaram, mas Luís Filipe Vieira soube a novidade em Outubro: Carolina Salgado escrevia uma autobiografia 'assassina' para Pinto da Costa.
O presidente do Benfica apressou-se a fazer chegar a informação à Polícia Judiciária e a (...) (DCICCEF) chamou a ex-companheira do dirigente portista para a interrogar. "Desenvolveu um pouco mais do que veio a publicar no livro. Mas não foi especialmente útil", conta uma fonte do processo. (...) Três responsáveis da PJ confirmaram ao Expresso 'a dica' do presidente do Benfica. Luís Filipe Vieira nega ter feito "qualquer contacto directo para a Judiciária". (...)” (realçados meus)
.
Portistas, acabo mais este longo post dizendo que toda esta pouca vergonha, que já nem deve ter muito mais para andar, parece que vai ser totalmente desmascarada em livro (eu disse livro, não "papel higiénico !!")
.
Efectivamente, li esta 5ª feira no jornal 24horas, sob o título "Pinto da Costa fala do escândalo no livro de Felícia", o seguinte:
"As jornalistas Felícia Cabrita e Ana Sofia Fonseca, ambas do "Sol", vão publicar um livro editado pela Esfera dos Livros sobre Pinto da Costa, em que o presidente do FC Porto fala já de todo o escândalo provocado pelo processo Apito Dourado e pelo livro da sua ex-namorada. "Não estamos aqui a fazer a defesa ou a acusação de ninguém. Este é um trabalho jornalístico e, como tal, limita-se a apresentar factos", diz Ana Sofia Fonseca. Carolina Salgado também já foi ouvida para a publicação do livro." (realçado meu).
.
Aguardo com enorme expectativa !!
.
P.s. - Tinha que publicar este post, mas não quero com ele retirar importância aos anteriores, onde se discutem temas importantes.

4 comentários:

O Situacionista disse...

A notícia completa:
“CAROLINA Salgado atribuiu a Fernando Madureira, líder da cJaque Super Dragões, a autoria das agressões ao ex-vereador de Gondomar, Ricardo Bexiga.

As primeiras declarações nesse sentido da ex-companheira de Pinto da Costa foram prestadas em Novembro à Policia Judiciária (PJ), tendo então originado a abertura de um inquérito. Essas acusações foram agora aprofundadas, durante o interrogatório presidido pela procuradora Maria José Morgado, na passada terça-feira.

Em cima da mesa de Morgado - que foi nomeada pelo procurador-geral da República para coordenar todas as investigações em curso relacionadas com o futebol e com o caso Apito Dourado - estava o inquérito aberto em Novembro, na Direcção Central de Investigação da Corrupção e Criminalidade Económica e Financeira (DCICCEF). A audição de Carolina Salgado durou nove horas.

Mas, segundo um elemento da DCICCEF, se Carolina repetiu o que disse à PJ, «não acrescentará nada à investigação do processo Apito Dourado ».

PJ fez busca à casa de Carolina

Em Novembro, um mês antes da publicação do livro Eu, Carolina, a DCICCEF abrira um inquérito autónomo do processo Apito Dourado e com base num depoimento prestado pela autora. Segundo uma fonte judicial, «O mais importante, então, era recolher elementos para investigar a fuga de informação verificada na PJ do Porto, sobre a busca a efectuar na casa de Pinto da Costa e que o terá levado a ausentar-se para o estrangeiro.

Quanto aos documentos que Carolina dizia ter e que sustentariam as suas acusações, o seu depoimento foi vago e inconsistente, o que levou a DCICCEF a fazer uma busca à sua casa.

«Nada de importante foi encontrado. Apenas documentos antigos, nomeadamente extractos de contas bancárias» - conta a mesma fonte, acrescentando que em pouco tempo as revelações «revelaram-se um flop».

No entanto, como a testemunha assumia ter sido co-autora de um crime de agressões físicas contra Ricardo Bexiga - tendo recebido para isso, segundo afirmou, 10.000 euros de Pinto da Costa - a PJ decidiu então extrair uma certidão das declarações e enviou-as para o DIAP (Departamento de Investigação e Acção Penal do Ministério Público) do Porto, onde corre o inquérito às agressões ao autarca, ocorridas em 2004.

Quando interrogada pela PJ sobre os elementos que diz ter contratado para agredir Ricardo Bexiga, Carolina Salgado foi-se esquivando até acabar por insinuar que terá contratado Fernando Madureira, chefe dos Super Dragões.

Contactado pelo SOL, o líder da claque garante:
«Ou se trata de uma brincadeira ou vai levar com mais um Processo em cima. Isso é completamente surreal, só ouvi falar do Ricardo Bexiga depois de o livro ter saído».

No seu livro, Carolina conta que teria combinado com Fernando Madureira invadir o tribunal de Gondomar, caso Pinto da Costa fosse detido, e raptá-lo para parte incerta. Ao SOL, Madureira contrapôs: «os dragões estavam lá, como é óbvio, mas isto não é a Argentina.
Nunca tal coisa foi pensada e por essas afirmações já lhe pus um processo por difamação».

Presidente do Benfica foi ´intermediário´

Segundo o SOL apurou, o Primeiro encontro entre os agentes da DCICCEF e Carolina ocorreu num hotel na Praça de Espanha, em Lisboa, e teve como 'intermediário' o presidente do Benfica, Luís Filipe Vieira.

Com Carolina estava a redactora do livro, Maria Fernanda Freitas, e a jornalista Leonor Pinhão.

Duas semanas antes, o presidente do Benfica entregara na DCICCEF um dossiê com documentação que, segundo afirmou, iria provocar um abanão no mundo do futebol, contendo provas de corrupção.

Mas, segundo a mesma fonte judicial, Luís Filipe Vieira 'comprou gato por lebre': «os documentos não passavam de fotocópias de peças processuais do processo Apito Dourado, que já foram arquivadas».

Bexiga foi ouvido

Segundo o SOL apurou, além de Carolina Salgado também Ricardo Bexiga já foi ouvido por Maria José Morgado. Contactado pelo SOL, o ex-vereador de Gondomar escusou-se a responder a perguntas sobre o assunto, argumentando: «É preciso que a investigação decorra com tranquilidade».

Esta semana, entretanto, o juiz de instrução do processo principal do Apito Dourado, em Gondomar, entregou aos arguidos uma cópia do interrogatório que fez a Carolina Salgado, em Dezembro, logo após a divulgação do livro Eu, Carolina.

Em duas páginas, relata-se - sem pormenores sobre datas e factos concretos - que Carolina afirmou haver reuniões e almoços regulares entre Pinto da Costa, Valentim Loureiro (presidente do Boavista) e Pinto de Sousa (presidente do conselho de arbitragem da Liga de futebol).

Nessas conversas, afirmou Carolina, Valentim pedia a Pinto de Sousa para que este escolhesse os árbitros que poderiam ser mais úteis ao Boavista - pois, a seguir, seriam recompensados com a oferta de presentes.

Noutras, Valentim mostrava-se indignado por os árbitros não terem ajudado mais o clube, de forma a ganhar os jogos.”

dragón disse...

O problema é que por muito mais que se realce estas relações mafiosas entre a Carolina Salgado e os dirigentes benfiquistas, este tipo de assunto nunca será mediatizado na comunicação social porque esta (RTP incluída) é completamente subjugada à MAFIA BENFIQUISTA.

Basta ver que a notícia do Expresso que desmascara as mentiras públicas do Vieira não mereceu nota de reparo em mais nenhum jornal ou emissão televisiva, e já saiu à mais de uma semana.

E quanto ao semanário SOL, convém não esquecer que o seu actual director nada mais nada menos do que o psicótico e completamente delirante ex-director do Expresso, e principal responsável por todas as mentiras descaradas que esse jornal inventou sobre o FC Porto e Apito Dourado.
Quer-me parecer que ele se está só a tentar aproveitar do facto de saber que todos os portistas são manifestamente anti-Expresso (por culpa dele) para tentar ganhar uma base de leitores fiel, que tanta falta tem feito ao seu pseudo-jornal.
Mas quando o conseguir não tenho dúvidas que o SOL voltará a perseguir o FC Porto com o mesmo ou até maior empenho que fazia o Expresso.

No meio disto tudo só há uma coisa que me reconforta.
É que, como li e muito bem num dos comentários desta bluegosfera, a Carolina Salgado é como o escorpião que vai a atravessar o rio nas costas do elefante.
Por isso tenho a certeza absoluta que quando ela perceber que está só a ser explorada pela MÁFIA BENFIQUISTA se vai virar contra quem a apoia hoje e muitas verdades inconvenientes sobre esta relação virão ao de cima.

Fico é à espera para ver se o tempo de antena concedido e as honras de paladina impoluta da verdade serão os mesmos quando isso acontecer...

Anónimo disse...

Já dizia a minha santa avó:

QUEM COM P*TAS JOGA O 20, OU FICA POBRE OU PEDINTE.

E neste momento quem anda a jogar é o LFV.

O Situacionista disse...

Sobre este assunto, os PALADINOS DA VERDADE, diziam ontem no jornal do “Marcelino vermelho mais vermelho não há”, o seguinte:

“Caso Carolina – Notícia no ‘Sol’
Vieira e Pinhão não comentam

O presidente do Benfica Luís Filipe Vieira e a jornalista e adepta ilustre do clube da Luz, Leonor Pinhão, recusaram-se ontem a comentar a notícia veiculada pelo semanário ‘Sol’ que dá conta de que eles estariam como intermediários no primeiro encontro de Carolina Salgado com a Polícia Judiciária. Segundo a mesma notícia, estaria igualmente presente Maria Fernanda Freitas, a autora do livro ‘Eu, Carolina”

“Não faz sentido e por isso não comento”, reafirmou Leonor Pinhão, colocando o ponto final em qualquer forma de especulação.

Luís Filipe Vieira, presidente do Benfica que ontem esteve na inauguração da casa do Benfica em Gândaras também se escusou a comentar a notícia através do departamento de comunicação do clube. Em Gândaras fez um discurso, mas não respondeu às questões apresentadas pelos jornalistas presentes na cerimónia.

O encontro entre Carolina Salgado e os agentes da Direcção Central de Investigação da Corrupção e Criminalidade Económica e Financeira terá decorrido numa unidade hoteleira na Praça de Espanha, em Lisboa.”
( http://www.correiomanha.pt/noticia.asp?id=227506&idselect=12&idCanal=12&p=200 )

A máfia vermelha começa a ficar nervosa, muito nervosa...