quinta-feira, 4 de janeiro de 2007

É ..... ou .... não é .... fora de jogo ? Eis a questão !!!!

Para desanuviar...
Há cerca de 15 dias, no jogo Wigan-Chelsea (2-3), com dois golos fantásticos, um do Lampard e outro do Drogba, aconteceu um lance raro. O 2º golo do Wigan, como podem ver
aqui, é marcado por um jogador que, aquando do passe feito pelo seu companheiro de equipa, e naquele preciso instante, não tem, dentro das “4 linhas”, mais nenhum jogador do Chelsea, para além do Hilário, pela frente. Logo “aparentemente” estaria em fora de jogo. Mas há um outro dado que pode (ou não) alterar a situação – na jogada, havia um jogador do Chelsea que, no desenrolar do lance imediatamente anterior, estava ainda para lá da linha de fundo e que só consegue regressar às "4 linhas" .... depois da bola entrar (golo).

Gostaria de saber a vossa opinião – é legal (ou não) o lance ?

P.s. - Na altura, a imprensa foi praticamente unânime – FORA DE JOGO !! Mas a semana passada começou a controvérsia !! É que os ditos entendidos ...afinal, não se entendem (Coroado diz (ver
aqui) que só os ignorantes não sabem que é legal, Cruz dos Santos “diz” (ver na caixa de comentários) que quem chamou ignorante aos outros é ...o maior de todos.... Enfim, a algazarra do costume !!)

9 comentários:

O Situacionista disse...

“Foi com um golo marcado já rio período de descontos (minuto 93) que o Chelsea venceu (3-2), na visita ao Wigan. (...)
Seguramente, porém, aquelas palavras de José Mourinho foram proferidas logo após o jogo, isto é, antes que ele o revisse através de vídeo ou alguém lhe falasse do segundo golo (2-2) do Wigan.

Caso contrário, ele seria forçado a ter outro discurso, pois não poderia deixar de dizer que aquele golo foi escandalosamente irregular, por culpa exclusiva do árbitro assistente que, desatento ou de escassa competência, deixou passar claríssimo fora-de-jogo em que o autor do golo se encontrava, após ter saído {tal como um adversário) pela linha de baliza, vulgo linha de cabeceira.

Importa frisar (porque é decisivo) que essa saída do terreno de jogo foi puramente acidental.

Disputando um lance sobre a meia direita, e correndo lado a lado, os dois jogadores acabaram por transpor a linha de fundo, sem que qualquer deles levasse a bola, que seguiu para a meia esquerda; no regresso ao campo foi mais rápido o jogador do Wlgan, que se colocou perto do poste, onde recebeu a bola {vinda de trás, de um colega de equipa) e a introduziu na baliza nitidamente adiantado em relação ao penúltimo adversário, pois só lá estava o guarda-redes.

Regressando atrasado (porque ficara mas longe), o jogador do Chelsea que saíra ainda tentou evitar o golo (junto ao poste) mas era tarde, a bola já entrara e, mesmo que não tivesse entrado, o fora-de-jogo devia ser assinalado, porque existira no momento do passe.

Disse ser decisivo o facto de os dois jogadores terem saído do terreno de jogo de forma puramente acidental. E a explicação é simples: ninguém pode sair do campo para tentar colher daí vantagem.

Admitamos que, naquele caso, por exemplo, só o jogador do Chelsea saía do campo, deliberadamente e visando colocar em fora-de-jogo o jogador do Wigan que com ele seguia ou qualquer outro. Nessa hipótese, se assim considerada pelo árbitro, o fora-de-jogo já não devia ser assinalado, o golo devia ser validado e o autor da batota (saída deliberada do campo) devia ver o cartãozinho amarelo, por comportamento antidesportivo.

Não foi esse o caso, houve erro grosseiro do árbitro assistente.
(...)”
Cruz dos Santos (A Bola, ontem)

Fanático disse...

A mim, com esses dados, parece-me claro que é fora de jogo, apesar da manhosice do jogador do Chelsea, mas o certo é que a análise dos árbitros tem de ser com os jogadores que estão em campo em jogo ou fora dele...

Anónimo disse...

Para mim é fora de jogo. Se o jogador só tem um adversário entre si e a linha de golo nada mais a dizer.

Um abraço.

Anónimo disse...

A opinião do Coroado é de morrer a rir, então o jogador está em jogo porque o defesa do chelsea que está fora do campo o põe em jogo?!?!?!?! Será que o homem está bom da cabeça? E se o jogador estivesse a receber assistência junto à baliza??!!?!

LOL.

A lei diz:
Um jogador encontra-se em posição de fora de jogo se estiver mais perto da linha de baliza adversária do que a bola e o penultimo adversário.
http://www.fpf.pt/regulamentos/leis_f11.pdf
Página 34

Onde é que está a dúvida? É evidente que fora das quatro linhas não conta, nem seria necessário mencionar isso na lei.

Um abraço.

Eterno Dragao disse...

Zirtaev,

Julgo que a questão não é tão linear e penso que o Coroado é capaz de ter razão. Penso que um jogador que saia do campo no decurso de uma jogada considera-se posicionado, para efeitos de apreciação da regra do fora de jogo, no ponto dentro do campo mais próximo do local onde ele se encontra.

Ver: http://images.ussoccer.com/Documents/cms/ussf/AdvicetoRef06.pdf (página37)

Ou: http://asktheref.com/Soccer%2520Rules/Question/14630/

Anónimo disse...

Desculpa eterno mas não posso concordar. O Coroado alegar que o jogador do Chelsea saiu das quatro linhas sem pedir permissão ao árbitro não lembra ao diabo. Se o tivesse feito com o propósito de colocar o jogador em fora de jogo ainda concordaria, mas neste caso foi apenas uma casualidade.

Um abraço.

Azzulli disse...

Lá se vai a repetida expressão "entre o jogador e a linha de baliza" tanto usada para definir o fora de jogo...

Passa a "entre o jogador e os paineis de publicidade"? Ou "entre o jogador e as bancadas"? Ou "entre o jogador e o Dolce Vita"?

Anónimo disse...

LOL Azulli, paraece que é isso mesmo. Hehehe.

E já agora estão a ver um jogador que já tem um amarelo a ir fazer um lançamento de linha lateral e o árbitro a expulsá-lo com o 2º amarelo, tinha de pedir permissão ao árbitro para sair do terreno de jogo. :-)

Um abraço.

Anónimo disse...

A derrota vergonhosa com o Atletico mostra que o MST tem razao. os suplentes são uma merda. e a culpa é do pinto da costa e dos seus amigos...