terça-feira, 28 de julho de 2009

Bicampeão do Mundo em Huelva



É verdade: estive lá!
Estando a poucos quilómetros de Huelva, e sendo este o primeiro jogo “mais a sério”, lá fui ver a bola, ou melhor, a pelota!




Primeiro há que encontrar o estádio.
O primeiro espanhol ao qual pergunto manda-nos em direcção oposta à real, viemos a descobrir.
O segundo corrige-nos a direcção.
Finalmente damos com o estádio.
Até tem bom aspecto o Estádio Nuevo Colombino. Tem pouco mais de um terço da lotação do Dragão, mas é um estádio vistoso.
Dezenas de carros de matrícula portuguesa estacionados nas imediações.
Compramos os bilhetes, a 10 Euros, e os lugares não podiam ser melhores: na 12ª fila, por trás do banco destinado ao FC Porto.
Pouco público, talvez umas 3000/4000 pessoas, esmagadoramente portistas.
Há que deitar o dente a um Hambúrguer manhoso, nada mais havia, antes do inicio da partida.

O jogo.
Começamos com o onze que para já me parece o mais fiável e forte.
H; Fuc, BA, Rol, AP; Fer, RM e Bell; MG, Var e Hulk
E realmente denotamos já o espírito de equipa e esforço que é nosso característico.
O Lyon começou a pressionar, mas nós marcamos cedo, numa bomba do Hulk.
De resto o jogo foi muito disputado, sem grandes oportunidades.
Nós já estamos como nos últimos anos, sem grandes ideias para atacar. Sempre preocupados em defender bem, abdicando de ter mais soluções na frente.
Assim o Belluschi já não aparece na área, e o Alvaro Pereira já não ataca, em favor de ter sempre cuidados defensivos.
Mas entendemo-nos bem, jogamos em bloco.
E tendo Hulk, as coisas acontecem. E lá veio o 2º golo.

Gostei globalmente da equipa. E espero que a ideia seja praticar bem a defesa e progressivamente ir implementando um ataque com mais soluções.

É fantástico ouvir a voz de comando de Bruno Alves.
“Sobe, sobe, sobe!”, “Pára!”, “Vai Varela, vai!”, “Fecha, fecha!”, “E à segunda?! Ninguém vai à segunda [bola]?”
E sempre corrigindo coisas que saem mal.
Para além da imponência dos seus cabeceamentos.
Está muito bem.

Dos novos, o AP esteve bem, Bell faz mexer a equipa, Varela esteve mais apagado.
Falcão entrou bem. Mexe-se bem na frente, não tanto como o Lisandro, mas tem qualidade, e parece-me que o melhor para nós é o tridente da frente ser Varela-Falcão-Hulk.




Ao intervalo deu para ver o grande Victor Baía a dar autógrafos, sempre simpático com toda a gente. Muito bem!
Também estavam na tribuna o Antero Henrique e o Adelino Caldeira, que diga-se, tem de emagrecer drasticamente…






























.
.
E no fim, lá veio a onda azul, de volta ao Algarve.
Que bela noite na Andaluzia…

14 comentários:

dragao vila pouca disse...

Frente ao Lyon - quem ouvisse os comentadores da Sport Tv, diria que estavamos a jogar contra uma equipa do Luxemburgo ou de Malta -, não fomos exuberantes, mas tivemos segurança, tranquilidade, qualidade e vencemos, com toda a justiça, um adversário, que apesar de não ter sido campeão na temporada anterior, tem, não nos esqueçamos, dominado o futebol francês.
Tendo por princípio, só fazer uma avaliação mais exaustiva, quando os jogos forem a valer pontos e troféus, penso que não cometerei nenhum erro grosseiro de análise, se disser, que apesar da saída de bons jogadores e com influência na equipa - Lucho, Lisandro e Cissokho -, temos um plantel mais equilibrado, com mais soluções e que vão dar algumas boas dores de cabeça a Jesualdo. Por exemplo, para os três lugares da frente, o treinador tem 6 jogadores capazes de lutarem pelo lugar: Hulk, Varela, Rodríguez, Farías, Mariano e Falcao, permitem várias combinações e todas de boa qualidade. O mesmo acontece no meio-campo, com Guarín, T.Costa, Fernando, R.Meireles, Belluschi, Valeri - tem pormenores que não enganam acerca da sua qualidade - e a incógnita Prediger - espero vê-lo uns minutos frente ao Besiktas.

Atrás também estamos fortes e se não houverem surpresas de última hora, ficaremos com uma defesa de betão. Fucile, Sapunaru, M.Lopes e Álvaro Pereira para as laterais, Maicon, N.André Coelho, Bruno Alves e um Rolando cada vez mais jogador, para o centro da defesa, dão totais garantias e garentem que a casa vai ter alicerces seguros.

Na baliza, Helton não pode ter ou melhor, continuar a ter, aquelas distracções que às vezes nos causam tantos amargos de boca. Ontem voltou a ser displicente e ia dando barraca...definitivamente isso tem de acabar, sob pena de esta época, com a chegada de Beto, ficar a ver jogar.
- Helton, vais continuar a dar o flanco aos teus detractores?

Frente ao Lyon, dos "velhos" e dos que jogaram tempo que se visse, gostei de todos e até estava capaz de pedir ao Hulk para acalmar um bocadinho e ser mais discreto...- Givanildo, meu rapaz, tem calma, a época é longa e assim tu não aguentas!...

Dos novos: muito bem Álvaro Pereira a justificar a contratação - se Aly Cissokho não tivesse saído ia ser o cabo dos trabalhos para Jesualdo.
Bem Belluschi, que tem muito talento e quando estiver totalmente integrado vai ser muito importante. Sabe ter a bola, é forte no um para um, aparece bem na frente...não é Lucho, ou melhor, é diferente de Lucho, mas é um belo jogador.
Varela cumpriu e vai brigar, ninguém duvide, por um lugar e quem o quiser fazer sentar no banco, vai ter de trabalhar muito.
De Valeri, que jogou pouco tempo já disse tudo e N.André Coelho nem tocou na bola...
Falcao, gostei do que vi. Diferente de Farías - muito mais mobilidade -, o colombiano recepciona e segura bem a bola, tabela e pressiona bem, sabe aparecer a finalizar...vou querer ver mais, mas estou a gostar.

Excelente o enviado especial à Andaluzia.

Um abraço

O Situacionista disse...

Compañero Azzulli,

Entonces por Huelva, ah ?

Se eu sabia, se eu sabia ...

... (e ampliando as palavras do Vila Pouca) bem que te tinha pedido para pedires ao prof. para esconder o Hulk. E não o deixar jogar mais até terminar o torneio. Não vá o diabo tecê-las ... atenção, muita atenção ... com coisas sérias não se brinca ...

Do jogo, 3 notas:

- os jogadores do Lyon estavam podres.

- Confirmará Falcao os indícios positivos ?

- Não sinto a falta, mas gosto muito de ver jogar Cissokho.


P.s. - De quem é o autógrafo ?

Jorge disse...

talvez as minhas expectativas tenham sido colocadas muito altas mas o jogo foi muito aborrecido, estava a contar com um Lyon mais forte e um FCP mais pressionante. acaba por se salvar o resultado e mais dois golos de Hulk. o que me custa ver é a falta de pressão no meio-campo, ainda que seja cedo demais para tirar conclusões, pode ser um problema. custou-me também ver a equipa a jogar quase num 4-5-1, dependendo só de Hulk para as jogadas ofensivas e começando a construir muito cá de trás. Varela e Mariano arrastam jogo (como o fará Rodríguez, sem dúvida) mas preferia uma construção mais à frente no terreno.

ainda é cedo, há coisas a corrigir, vou dar tempo à equipa, como faço sempre...

Jorge (Porta19)

O Situacionista disse...

Reforço esta frase do enviado especial:

"Nós já estamos como nos últimos anos, sem grandes ideias para atacar. Sempre preocupados em defender bem, abdicando de ter mais soluções na frente."

Nem mais. Daí a minha curiosidade acrescida em ver jogar Valeri.

O Situacionista disse...

"Negócios estranhos

Alguma coisa está
podre quando um clube

GRAÇA ROSENDO vem da escola do jornalismo de investigação do extinto «Independente» (o bom, porque também houve o mau), o que quer dizer que não é propriamente uma menina recém-chegada ao jornalismo, disposta a escrever qualquer coisa que o director lhe diga que faz vender jornais. Assim, a peça que ela escreveu no penúltimo número do «Sol», sobre as dívidas do Benfica à Euroárea decorrentes da construção do centro de treinos do Seixal, é história que merece ser analisada mais de perto. Aliás, o artigo que logo se seguiu sobre o assunto, aqui, na «Bola», e a reacção do porta-voz da Luz, demonstraram bem que o tema gera bastante desconforto.
Desde logo, salta à vista o facto de, no conjunto de uma dívida cujo total chega aos 24,5 milhões de euros, o Benfica ter já falhado a primeira prestação, de apenas 2,5 milhões, titulada por uma letra de que é avalista. E se falhou o pagamento desses 2,5 milhões, como honrará, em Setembro, o pagamento dessa quantia mais os 22 milhões que então se vencem? A segunda coisa que não pode deixar de preocupar alguns benfiquistas é pensar que esses 24,5 milhões representam o dobro daquilo que efectivamente era devido, mas que a falta de cumprimento contratual por parte do clube fez accionar a cláusula penal do contrato — a qual previa exactamente a duplicação do montante em dívida. E também deve dar que pensar que esses 24,5 milhões representem exactamente aquilo que o clube já gastou em contratações para a próxima época e representem também o total do orçamento do futebol para a época agora iniciada — e de onde tal dívida não consta orçamentada.

Mas isso são preocupações dos sócios benfiquistas, se as quiserem ter. E a verdade é que os sócios benfiquistas, que votaram maciçamente em Luís Filipe Viera há poucas semanas, ouviram-no dizer na campanha eleitoral que não lhe falassem do défice, se queriam ter uma equipa de futebol competitiva. E há poucos dias, os sócios benfiquistas desertaram também maciçamente a Assembleia Geral onde as contas e o orçamento do próximo ano foram aprovados. A mim, as dívidas do Benfica não me interessam nem me ocupam — excepto se, como também se pode inferir da notícia de o «Sol», elas vierem a ser cobertas, no todo ou em parte, pela Caixa Geral de Depósitos, porque aí já são os dinheiros públicos que entram em cena e julgaria inaceitável que o banco do Estado andasse a financiar um clube que, em lugar de pagar dívidas, compra jogadores. Mas, tirando essa situação, o que me preocupa, e tem ocupado aqui bastas vezes, são as contas e as compras do FC Porto.

Porém, se venho a este tema, é porque há, na peça da Graça Rosendo, uma parte que me fez disparar uma campainha de alarme. Como é que a direcção da SAD do Benfica, presidida então, como agora, por Vieira, se propôs pagar à Euroárea os custos da compra do terreno e construção do centro do Seixal? Em dinheiro, em partilha de receitas, em direitos de exploração? Não: propôs-se pagar em forma de tráfico de influências politicas. É isso mesmo que se infere do contrato assinado entre ambas as partes. O Benfica propôs à Euroárea cumprir a sua parte do contrato obtendo da CML a autorização para mais 1 800 metros quadrados de construção a favor da Euroárea na urbanização dos terrenos da Luz, e obter da CM Seixal idêntica licença para ampliação em 30 000 metros quadrados da urbanização na Quinta da Trindade, no Seixal, de que esta empresa é proprietária.
(cont.)

O Situacionista disse...

(cont.)
Ou seja: o Benfica propôs-se servir de intermediário da Euroárea e junto das edilidades de Lisboa e do Seixal, a favor dos interesses da empresa. E se o fez, e se a Euroárea o aceitou, é logicamente porque a empresa concluiu que, por si só, não conseguiria convencer as autarquias a reverem e revogarem os planos municipais já aprovados. A Euroárea reconheceu não ter força de influência politica para o conseguir; mas reconheceu também que o Benfica a tinha. E foi com este pressuposto que assinaram o contrato. Estamos perante um chocante caso de tráfico de influências, feito por um clube de futebol a favor de uma empresa privada e no interesses de ambos. A força da «marca Benfica», como costumam dizer, é de tal ordem, que a direcção presidida por Luís Filipe Viera não hesita em assinar contratos onde se compromete a obter de autarquias regimes de excepção a favor de terceiros!

Em tempos, e perante o silêncio geral, expus aqui detalhadamente o que foram os extraordinários contratos de favor celebrados entre Benfica e Sporting, por um lado, e a CML, então presidida por Santana Lopes, por outro, e que permitiram a construção dos novos Estádios da Luz e Alvalade XXI. Já lá vão cinco anos e recordo apenas que, entre várias facilidades de construção excepcionais e outras alcavalas, a CML (eternamente arruinada) deu, literalmente dado e em «cash», 15 milhões de euros a cada clube. O contrato era de tal forma impressionante que a última cláusula estabelecia (ó santa inocência!) que nos próximos dez anos nenhum dos dois clubes teria mais o que quer que fosse da CML. O Sporting conseguiu recentemente que um tribunal arbitral, aceite pela CML, lhe outorgasse mais uns direitos de construção extra em terrenos tão próximos do estádio que basta olhar para a sua localização para perceber o regime de favor e excepção de que beneficiou. E o Benfica, pelos vistos, ainda se reserva o direito de obter o mesmo, directamente a favor de terceiro. E pensar que, depois do grande regabofe entre câmaras e clubes a pretexto do Euro-2004, o único «escândalo» que ocupou a imprensa e o Ministério Público foi a permuta de terrenos entre o FC Porto e a CMP! Ao menos o FC Porto, quando se abalançou à construção do Estádio do Dragão, era proprietário de 17 hectares de terrenos na zona, livres e disponíveis. Quantos tinham Benfica e Sporting?

VOLTANDO ao contrato entre Benfica e Euroárea, o que parece ter complicado a posição contratual do Benfica é que, por um lado, a CM Seixal ainda não outorgou a tempo o alvará a favor da Euroárea que o Benfica se comprometeu a obter, e a CM Lisboa levou a expansão da área de construção da Luz a votação camarária e o projecto não passou. Houve uma votação que terminou empatada 5-5 e o presidente e benfiquista António Costa fez uma prévia declaração prescindindo do seu voto de qualidade. O Benfica já juntou o inevitável parecer jurídico, sustentando que o presidente, quando vota, tem sempre voto de qualidade (e devo dizer que, juridicamente, também acho o mesmo). Mas, no mínimo, o que António Costa deveria ter feito era abster-se na votação, ou, melhor e mais normal, ter recusado liminarmente o projecto porque cidade alguma pode ser governada com decisões de excepção a favor de clubes de futebol que vivem eternamente acima dos meios normais de que dispõem. Chama-se a isso fomentar a concorrência desleal e chama-se a isso dispor de coisa pública em benefício de interesses particulares.

Depois não venham dizer que o futebol é um mundo à parte. Alguma coisa está podre quando um clube assina contratos em que se compromete a obter junto das autarquias autorizações de construção a favor de terceiros.

Miguel Sousa Tavares n' A Bola."
(retirado, com o consentimento presumido do blog Portistaforever)


OU SEJA, OS VERMELHOS, AINDA NÃO PAGARAM UM CÊNTIMO PELO CENTRO DE ESTÁGIO.

E QUEREM PAGÁ-LO, À SUCAPA, COM LICENÇAS CAMARÁRIAS.

TÁ CERTO...

Eterno Dragao disse...

Situacionista: a tua pergunta em P.S. "De quem é o autógrafo?" é absolutamente lamentável. Proponho à Assembleia Geral deste blogue que, de castigo, não possas escrever durante uma semana.

Um portista como tu tem de saber que aquele autógrafo é do GRANDE VITOR BAÍA (tenho aqui um igual, devidamente "exposto" na minha estante, junto dos bilhetes de Sevilha e Gelsenkirchen).

Desta vez, estás perdoado!

O Situacionista disse...

Eterno,

:-))

Aceito o castigo desde que só comece no dia 1 de Agosto.

Mas sabes, só conheço o do NGP...

Eterno Dragao disse...

O do NGP também está na mesma prateleira que, como já deves ter concluído, é o "santuário" cá da casa. :-)

Eterno Dragao disse...

Esta semana, o MST tomou as pastilhas... Por sinal, eram de excelente qualidade.

Fanático disse...

MST:Desta vez acertou em cheio e fez lembrar os tempos em que o MST mexia com os interesses instalados, sabia ser provocativo, com provas e razão de ciência.

Assim sim!

O jogo:

a) jogo conseguido, competitivo, em que o JF fez alinhar a equipa mais consistente;

b) Gostei do Falcão, Álvaro Pereira e BA.

c) No mais, duas notas a destacar:
- O Helton, das duas uma, ou se concentra e faz defesas como à canto directo dos primeiros minutos, ou perde o posto para o Beto, uma vez que as desatenções da segunda parte não são aceitáveis num titular do FCP;

- Hulk: nesta forma, ainda sai até ao fim de Agosto...

Fanático disse...

Entretanto, a massa que devia ter ido para a Euroárea,vai para outros lados:

"O Benfica assegurou a contratação do futebolista brasileiro Keirrison por empréstimo do FC Barcelona durante uma temporada, anunciou esta terça-feira o clube da Luz.

Em comunicado enviado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), a SAD do Benfica informa que chegou a acordo com o clube catalão e com o avançado brasileiro, tendo ainda mais um ano de opção pelo empréstimo do jogador."

(http://www.ojogo.pt/Directo/NoticiaHora_futslbgarantekeirison_280709_155409.asp)

Fanático disse...

Nunca mais chega o dia 31 de Agosto?

No jogo on line.

"Na altura, pode não ter parecido, mas aquelas duas exibições descoloridas de Hulk frente ao Manchester United, nos quartos-de-final da Liga dos Campeões, foram das melhores coisas que aconteceram aos adeptos do FC Porto na última temporada. A sério. Afinal, mesmo que Hulk tivesse sido igual a si próprio, mesmo que o FC Porto tivesse seguido em frente, ainda havia aquele Barcelona retorcido por Messi, Iniesta e Xavi para estragar a festa em Roma. Ora, o facto é que Hulk quase não se viu em Old Trafford e também sofreu um pequeno eclipse no Dragão. Se não tivesse sido assim, se tivesse sido incrível como foi frente ao Atlético de Madrid, ou como voltou a ser na segunda-feira, frente ao Lyon, o mais provável é que Alex Ferguson - ou outro bicho papão qualquer - tivesse sublinhado o seu nome numa lista de compras para o ir buscar ao FC Porto logo que o mercado abriu. Assim, os adeptos do FC Porto vão cruzando os dedos e enquanto fazem a contagem regressiva: faltam 33 dias para o mercado fechar e Hulk ainda veste de azul e branco…"

Nightwish disse...

Eu pessoalmente preferia ser vice-campeão da Europa e manter o Lucho ou o Lisandro...