quarta-feira, 31 de maio de 2006

GERAÇÃO PENTA !!!!

Que título fantástico !!
Diria mesmo perfeito.

Não, não é da minha autoria.
Era como se chamava ontem uma reportagem no jornal “OJogo” sobre o hóquei em patins do FCPorto (aliás a reportagem está fabulosa).

De facto este ano conquistámos o bi-...penta !!!
É verdade.
E então é uma reportagem com dois grandes dragões cada qual protagonista de um penta – Vitor Hugo e Filipe Santos.
(Ainda para mais parece-me que desta vez não vamos ficar pelo penta....)

Mas eu estenderia o título deste post a todos os portistas (e só nós o somos !!!) que têm a felicidade de andar por este mundo – todos somos a geração PENTA !!!!!

Especialmente a afortunada geração de 70 a qual praticamente nasceu para o futebol nos primórdios do início (passe a redundância) da fulgurante e imparável ascensão do FCPorto ao estrelato mundial.

Bom, retomando a reportagem de ontem, alerto só para um dado verdadeiramente (nem sei muito bem como classificar...) ARRASADOR – em 1982, ano da chegada à presidência de Pinto da Costa, sabem quantos títulos de hóquei, nacionais ou internacionais, o FCPorto tinha ?
ZERO !!!
Leram bem ??? Zero...

Sabem quantos tem hoje ?
Só nacionais, temos 15 !!!! QUINZE !!!!
Querem que repita ????

Nem de propósito, eu não resisto a deixar aqui um pequeno extracto da reportagem de ontem:

“O homem da linha da frente
Pelo FC Porto podem passar várias gerações de jogadores, enquanto se contam títulos e taças, mas à frente do clube tem estado sempre um só homem. Vítor Hugo recorda os tempos em que Pinto da Costa era director da secção de hóquei, numa altura em que o FC Porto procurava afirmar-se: "Uma das ambições dele era que o FC Porto fosse campeão nacional e ganhasse um título europeu. Era das principais figuras a acompanhar-nos em ambientes terríveis. Uma vez, na Sanjoanense, o nosso presidente sai do autocarro, leva um murro e volta para dentro, dizendo "já ganhámos". Era essa atitude que nos fez crescer. Ter um presidente que estava connosco nas primeiras lutas que nos fazia ganhar. Ainda hoje é uma referência para mim".
Era Pinto da Costa que unia o grupo em anos difíceis para os portistas, hostilizados em cada deslocação. "Onde íamos éramos esperados e não éramos propriamente bem recebidos. Recordo-me no primeiro ano em que fui para o FC Porto, ficámos em segundo, e as pessoas davam-nos palmadinhas nas costas e diziam-nos que tínhamos futuro, mas depois disso começámos a ganhar e as coisas inverteram-se, porque as pessoas não estavam habituadas, pois o feudo em termos de títulos pertencia a Lisboa. Os nossos primeiros êxitos caíram muito mal", contou Vítor Hugo, enquanto Filipe Santos reforçava: "Ainda hoje, nas camadas jovens, miúdos de oito anos estão a jogar e a ser insultados só por terem a camisola do FC Porto vestida".
Depois de o FC Porto ter conquistado respeito através de títulos, a vida ficou um pouco mais fácil para a geração de Filipe Santos, apesar de tudo, ainda hoje apoiada pelo presidente. "Quando ele aparece nos nossos jogos entusiasma-nos. Ele tem muitos compromissos mas sabemos que está sempre atento aos nosso resultados. Chegou a ir a Fátima almoçar connosco antes do jogo com o Follonica [final-four da Liga dos Campeões deste ano] e surpreendeu-nos porque ninguém estava à espera que aparecesse".
(realçado meu)

Confiram tudo em,
http://www.ojogo.pt/22-98/artigo556054.htm
e restantes links associados (vale a pena)

3 comentários:

Fanático disse...

Gosto do nome !!!
Ainda que a GERAÇÃO PINTO DA COSTA também não estaria nada mal

Justiceiro Azul disse...

São coisas como estas que me fazem sentir cada vez mais orgulhoso de ser portista!
Os comentários do Vítor Hugo e do Filipe Santos fizeram-me lembrar um torneio de futebol da Pontinha em que o campo foi invadido e bateram nos miúdos do Porto. Até onde vai o ódio pelas vitórias do nosso clube de quem estava habituado a ter tudo dado? E os fanáticos somos nós!

Anónimo disse...

Great site loved it alot, will come back and visit again.
»